Obituários >>

AGRADECIMENTO
Ângelo César Cadorim (Cesário)
Nós, da família Cadorim queremos agradecer a Unimed Unilar e Hospital Regional, o carinho, dedicação e respeito, durante sua doença, no decorrer deste ano. Não vamos citar nomes para não esquecer nenhum anjo que esteve conosco. Que Deus em sua bondade infinita cubra de bençãos todos. Que Deus lhes pague. 
CONVITE DE MISSA DE 7º DIA
Jerônimo dos Santos (Sr. Bebém)
A família agradecida pelas demonstrações de carinho recebidas, comunica que a missa será celebrada, hoje, 22/11/2014, às 19 horas, na Igreja Menino Jesus de Praga. Pelo comparecimento, agradece. 
CONVITE DE MISSA DE 7º DIA
Angelo Cesar Cadorim (Cesario)
A família, agradecida pelas demonstrações de carinho recebidas, comunica que a missa será celebrada hoje, 22/11/14, às 19h, na Igreja Santo Antônio. Pelo comparecimento, agradece.
CONVITE DE MISSA DE 7º DIA
Maria Isabel Ribeiro
A família agradecida pelas demonstrações de carinho recebidas, comunica que a missa será celebrada, hoje, 22/11/2014, sábado, às 19 horas, na Igreja N. Senhora Aparecida (Capelinha). Pelo comparecimento, agradece. 
PARTICIPAÇÃO DE FALECIMENTO
Evaristo de Almeida
A família participa seu falecimento ocorrido em 20/11/2014. O sepultamento ocorreu dia 21/11/2014, às 13 horas, no Cemitério Da Saudade. O velório aconteceu no São Vicente de Paulo, sala 08. 
CONVITE DE MISSA DE 10º ANIVERSÁRIO
Manoel Manhani
A família convida para a missa em sua memória, hoje, 22/11/2014, às 19 horas, na Igreja Nossa Senhora Aparecida (Capelinha). Pelo comparecimento, agradecem. 
CONVITE DE MISSA DE 6 ANOS
Basílio de Moraes
A família convida para a missa em sua memória que será celebrada hoje, 22/11/14, sábado, às 19 horas, na Paróquia de Santa Luzia. Pelo comparecimento agradece. 
CONVITE DE MISSA DE 7º DIA
Roberto Teodoro de Castro
A família, agradecida pelas demonstrações de carinho recebidas, comunica que a missa será celebrada hoje, 22/11/14, às 19h, na Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição (Catedral). Pelo comparecimento, agradece. 
Fábio Cândido da Silva foi sepultado ontem, no Santo Agostinho
Morreu ontem, 21 de novembro, no Hospital Regional de Franca onde estava internado, o sindicalista e ex-vereador Fábio Cândido da Silva, presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Calçados de Franca. Tinha 60 anos, completados em 18 de agosto. Fábio, em primeiro de novembro, passava final de semana com amigos e familiares em rancho situado na região de Cássia (MG) quando sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral) extensivo — exames comprovaram intenso sangramento em grande parte do cérebro - e entrou em coma. Recebeu cuidados emergencialistas no hospital de Passos (MG) e foi transferido a Franca, passando primeiro pelo Pronto Socorro referencial da cidade e seguindo ao Hospital Regional.
 
Na instituição médica foi sedado e isolado na CTI em função de quadro crítico de saúde piorado por infecção diagnosticada na ocasião. Não voltou ao estado de consciência. Esta semana, com sinais de pequena melhora, foi levado a quartos do hospital. Novo agravamento de saúde causou o óbito às 3 horas do dia 21.
 
Era filho de Paulo Cândido da Silva e Francisca de Jesus da Silva, irmão de Regina, Paulo Filho, Reginaldo e Luís Antônio. Divorciado do primeiro casamento, casou-se com Nilva Alice Morales e tiveram 30 anos de vida em comum. Dos enlaces nasceram Fabiana, Ariana (casada com José Geraldo Silva Matos), Yasmin (casada com Jeferson Luís de Oliveira), Yuri (casado com Aline e Ísis; e dois netos, Beatriz e Isaac. 
 
Desde muito jovem Fábio demonstrou vocação ao exercício político e ao sindicalismo. Foi um dos articuladores de convite a Luís Inácio Lula da Silva para que, em Franca, apoiasse a construção do Parque dos Trabalhadores. Lula veio, reuniu milhares de trabalhadores na Cabana de São Benedito, mas o parque só saiu do papel muitos anos depois. Eleito presidente do Sindicato dos Sapateiros da ‘Padre Anchieta’, Fábio recebeu convite da CUT (Central Única dos Trabalhadores), para agregar conhecimentos sobre sindicalismo em Cuba. Nesta mesma gestão, decidido a modificar o que dizia ser ‘calmaria demais para conquistas de menos’ - segundo sua cunhada, Nilce Morales -, endureceu negociações com os líderes patronais e convocou greves que produziram tensos confrontos entre trabalhadores, donos de indústrias e forças policiais. A história centenária da indústria de calçados francana nunca tinha registrado eventos do tipo. Na sequência candidatou-se a vereador e foi eleito com mais de cinco mil votos, recorde para a época. 
 
O advogado Fábio Roberto Cruz, também ex-vereador, fala de Cândido da Silva como ‘vereador de participação legislativa decente’. Segundo Cruz, ele tinha ‘posições contundentes e ideias controversas. Eu tinha ressalvas contra algumas da ideias sindicalistas dele, mas não posso negar que foi corajoso naqueles tempos de exceção e, por isso, tornou-se referencial nas lutas que empreendeu. Lembro-me, inclusive, de intervenção do Ministério do Trabalho ao sindicato que ele presidia, destituindo-o e a seus companheiros, mas ele jamais deixou de fazer o que acreditava’.
 
Alijado da política mas não do sindicalismo, anos mais tarde Fábio contestou a representativade do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Calçados de Franca e Região como instância adequada de defesa dos sapateiros francanos. Queria um sindicato local e empreendeu busca de nova carta sindical. Conquistou-a depois de defender a ideia em várias instâncias da Justiça e logrou êxito, passando a presidir o Sindicato da Indústria de Calçados ‘de Franca’. Estava no exercício do cargo e vivendo tempo de nova eleição quando o AVC o acometeu. Sua principal bandeira era a proposta de mudança da data-base da categoria e melhoria do piso salarial, que considerava abaixo do merecimento e da competência dos sapateiros francanos. 
 
Seu velório aconteceu no São Vicente de Paula. O sepultamento, com serviços da Funerária São Francisco, foi realizado às 16 horas de ontem, sexta-feira, no Cemitério Santo Agostinho. 
 
 
Popup veja obituários anteriores