Uma pulseira que mede a atividade física desvendou um caso de assassinato em Connecticut, nos Estados Unidos.

Richard Dabate, de 40 anos, ficou viúvo em 23 de dezembro de 2015. À polícia ele disse que, na ocasião, após deixar os filhos na escola, retornou para casa, às 9h, momento em que um suposto intruso o atacou e à Connie, de 39 anos, mulher de Dabate. Ele descreveu o invasor como "um homem obeso e alto, com uma voz grave como a do ator Vin Diesel, que usava camuflagem e uma máscara". No relato, o marido destaca que o intruso matou Connie usando uma arma que pertencia a Dabate.

Connie foi morta com 2 tiros. Quando foi socorrido pela polícia, na ocasião da suposta invasão, o marido tinha um braço e uma perna amarrados a uma cadeira, além de ferimentos superficiais, feitos a faca. A investigação mostrou, porém, que na data do crime, Connie usava uma pulseira fitness, que registrou que ela fez uma aula de ginástica por volta das 10h05, o que seria uma hora após o horário que Dabate afirmou ter acontecido o ataque.

Conforme o site Uol, os investigadores também declararam que não havia evidências de luta corporal e que os cães farejadores não detectaram cheiro de uma terceira pessoa na casa. Dabate foi acusado este mês pelo assassinato, manipulação de provas e por fazer declarações falsas sobre a morte da mulher. Ele pagou fiança no valor de US$ 1 milhão e responderá em liberdade. Foi descoberto que há um ano Dabate teria pedido o divórcio e na ocasião do crime mantinha um relacionamento extraconjugal, sendo que a amante estava grávida dele.