As coisas

Por: Sônia Machiavelli

Mais que olhar as coisas
é preciso demorar-se nelas
para vê-las pulsantes
antes do instante
final.
Estrelas cadentes
caminhos de fogo
riscando em segundo
nosso inútil espanto.

 
O amorfo  e o escuro
jazendo em caçambas
amortalhados
se decompondo
nas latas
atravancando
caminhos
sem viço, só jaça
guardam a memória
daquilo que foram
no fácil, no fóssil
 
 
só o poeta desentranha
do lixo acumulado
este passado
de meteorito.

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras