Cristãos de dezembro

Por: Antonio Coutinho

Crianças miseráveis alegram-se com brinquedos de plástico recebidos de estranhos no fim de mais um dos anos. Bolas, bonecas, chocalhos...

Brincam, foliam, se calam na volta pra casa. Algumas se abraçam ao presente, outras deixam cair da mão na saída da festividade ou entregam ao cão abandonado que rosna na calçada para morder aquela coisa estranha.

Crianças gostam de abraço, beijo, colo, afagos, têm a percepção do tempo e da localidade, pra desgosto dos cristãos de dezembro: “Não agradecem, nem dizem obrigado.”

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras