Bye

Por:

Cadê aquela aflição contida? Aquela urgência, aquele imediatismo? Aquela falta tremenda por não ter disponível um simples dia ensolarado hoje, aqui, agora? Cadê a ansiedade por dias melhores naquele futuro opressor retaliando o que não foi planejado e realizado como deveria? Calma? Mas de onde vem esta calma, estes olhos tranqüilos, traiçoeiros? Uma serenidade dos dias acontecendo simplesmente e que para mim mais se parece com tédio, é isso que você defende? Paciência com o que deu errado e levando em conta o que deu certo? Sem algo grandioso, imenso, inigualável para realizar? Porque você é única sem ser especial? A sensação de que se está em dia com o dia? De onde vem isso?

-Os anos se passaram ou fui eu que os passei?

Tânia Liporoni
Advogada e autora de Parceria de Um e Pega-me. Membro da Academia Francana de Letras

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras