Equívoco

Por: Sônia Machiavelli

Certeza de que lhe havia dito no estacionamento do Shopping: “vou esperar defronte do Gramado”. Como já houvesse transcorrido meia hora, preocupei-me. Mais trinta minutos, comecei a imaginar coisas. A babá não conhecia o lugar, poderia estar perdida, ter sido atropelada, sentido-se mal. Olhei o neto impaciente na cadeirinha do restaurante. Depois, filho de um lado, neta de outro, não aguentei, pedi que ambos saíssem a procurá-la. Mais um tempo dilatado e eis enfim os três caminhando em minha direção. “Ela estava lá fora”, me explicou o filho. E acrescentou a neta, antes de voltar a se conectar ao seu smartphone: “achou que era para esperar no gramado”. Pensei pela primeira vez na vida que voz deveria ter registro de maiúscula.

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras