Gesto maternal

Por: Zelita Verzola

Tem gente que possui essa maestria. Transborda acolhimento emocional. Dom? Fruto de fé? Não importa. Alenta, balsamiza. Assim foi Dona Bertha Caleiro Guimarães. Pude perceber e receber esta sua dádiva no longínquo e doloroso 1.979. Eu lecionava em sua fazenda e, em curto espaço de tempo, perdi meu pai.

Seu cuidado amoroso para comigo foi extremamente valioso. No Natal daquele ano, enviou -me um delicado cartão. E nos 32 anos seguintes, o primeiro cartão de Natal a me chegar foi sempre o de Dona Bertha, abençoando com seu gesto maternal. Imensa gratidão!

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras