Flagrantes da Vida Real

Por: Chiachiri Filho

Sob o título acima, o Dr. Jarbas Spinelli brindava os seus leitores em suas crônicas escritas especialmente para o Comércio da Franca. Não era sempre. Só as escrevia em época de política, isto é, por ocasião dos pleitos municipais. Além de ser um médico, respeitado, competente e famoso, Spinelli destacava-se pela sua cultura humanista e pela sua visão profunda e consciente da vida política do Brasil e do município. Era udenista de carterinha e lacerdista apaixonado. Para ele, Carlos Lacerda constituía-se no grande líder político do Brasil sob cuja liderança o nosso país poderia desenvolver-se e alcançar um lugar de projeção entre as nações civilizadas. Apesar de sua forte atração pela política, Dr. Jarbas jamais havia pleiteado uma candidatura. Porém, no início dos anos 80, já com quase 80 anos, ele resolveu entrar no PP (Partido Popular) e colocar seu nome à disposição para uma candidatura a vereador. Com a absorção do PP pelo PMDB, Dr. Jarbas pretendeu abandonar o partido e a candidatura. Contudo, o grupo impediu-o de realizar o seu intento e, mais do que isso, lançou-o como candidato a vice-prefeito numa dobradinha com o João Rocha. Dr. Jarbas escrevia muito bem, pensava melhor ainda, no entanto, não sabia falar em público. Os comícios e os discursos para ele eram verdadeiros fantasmas que o atormentavam toda vez que era chamado a pronunciá-los. As palavras não saíam de sua cabeça e, quando saíam, não tinham fluência e nem brilho. Pior ainda: às vezes dava-lhe um branco e não saía nada. Sugerimos-lhe que levasse um texto escrito. Todavia, mesmo lendo era um desastre com o microfone na mão. Certa feita, num comício realizado na Praça da Capelinha, Dr. Jarbas desistiu de sua aventura como tribuno e disse claramente para todos ouvirem:

– Eu não sirvo para isso. Eu não quero fazer isso. Eu não vou fazer mais nenhum discurso!

Entregou o microfone para o apresentador e ficou esperando o discurso do João Rocha que, ao contrário do Dr. Jarbas, falava muito bem.

Mas, o maior receio do Dr. Jarbas era de, caso ganhasse as eleições, não pudesse terminar o mandato em virtude de sua idade.

Dr. Jarbas integrou-se tão bem naquele grupo político que ninguém se lembrava de que ele era quase um octogenário. Lúcido, inteligente, irônico, culto, simpático e comunicativo, o Dr. Spinelli era querido e admirado por todos. Lembravam-se da sua idade somente quando alguém de sua família o chamava de bisavô. Aí a risada era geral.

Dr. Jarbas Spinelli durou bem mais do que um mandato municipal. Ele faz falta, muita falta. É uma pena que não esteja conosco até hoje para escrever os Flagrantes da Vida Real e para encaminhar os jovens na senda da boa política.
 

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras