Espectro de imaginação

Por: Débora Menegoti

195957

Agora pouco menos melodramática

Sistentimental

Experiência pós (in) pertinência

Cai a tarde dentro de mim

Amanhecem libélulas azuladas no estômago

Atravesso seus olhos graves

Persigo estrelas com sabor café

Nova dimensão entra pela janela de vento e grita:

— Trigueirinho, Osho, Pipoca da Vozinha ... Soluços, Bustos, Justos, Custos!

E ainda:

Jacob, Mile Davis, Brubeck, Noel, digo, Papai Noel!

Marcas de amor no vapor do vidro, mãozinha miudinha, coraçõezinhos, iniciais, patinhos, borboletas e o Sol...

E todo tipo de frivolidades piegas e lindas.

Contraste- teu ninho de paz, meu ninho de ais...

Pezinhos de criança sapeca, tocando jazz imaginário

Dançando, dançando...

Convidando a dançar, vamos com ela?

Sou par(fi)cial ora severa, ora ríspida...

Memória tênue, fulgaz, distraída pela resplandescência da vida...

Luz noturna és em mim, filha.

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras