Time de basquete do Pestalozzi, 1976

Por:

199371

Time de basquete do Pestalozzi, 1976, da esquerda para a direita, em pé: Michel Cury, Heraldo Figueiredo (treinador), Élcio Latuf, Márcio Tornatore, Jorginho Pedro, Alexandre Querino, Wilton (Tom) Mello, Wilson Maníglia; agachados: Ricardinho Adib, Rafael Minervino, Xande Olivieri, Alexandre Querino e Carlão. Ginásio do Clube dos Bagres, final dos jogos da Primavera. Fotógrafa, Olga de Faria. O time iria jogar contra o IETC na disputa do primeiro lugar em basquete, naquela final dos Jogos da Primavera. O Pestalozzi tinha o melhor time de handball, e o IETC, o de basquete. Naquela noite do jogo todos os olhares estavam dirigidos para o time adversário, onde já despontavam estrelas futuras do tradicional esporte francano. O colega que estudava nas duas escolas e era, no cotidiano, fundamental no esquema dessa turma, optou por outra modalidade de esporte, jogando pela outra escola. Embalde pediram, suplicaram. Nada. Na certeza de ganhar, escolheu a boa... Noite memorável. O treinador Heraldo entrou no vestiário e conversou com cada jovem, diretamente. Exaltou as qualidades de cada um, elogiou-os individualmente. Disse sobre a capacidade e a necessidade de serem um só, para alcançar a sonhada vitória. Relembrou-os da única jogada que haviam ensaiado envolvendo os três jogadores mais experientes. E mandou-os para a quadra com a bola cheia. Entraram e fizeram bonito. Ganharam apertado, mas alcançaram o primeiro lugar. Pela primeira vez ganharam do imbatível IETC, o que era melhor que a taça de primeiro lugar do campeonato. Não se lembram do colega que os largou na mão. Lembram-se apenas da alegria, do choro, da emoção da vitória no basquete contra o IETC, o favorito, e da derrota, naquela mesma noite, no handball, especialidade do Pestalozzi. Esporte é caixinha de surpresa.

(Lúcia H. M. Brigagão)

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras