Interrogação

Por: Ronaldo Silva

Eu beijei a boca
de uma linda mulher.
E minha boca ficou se perguntando
se aquela boca seria, finalmente,
a que eu haveria de beijar
pelo resto dos meus dias.
 
Meu coração se sentiria confortável
se a resposta fosse “Sim”.
Mas aquela boca de carmim,
macia de tantas promessas,
abriu-se para pronunciar incertezas.
 
Eu sai lentamente,
bati aporta do carro
e guardei no porta-luvas
todas as reticências que nasceram ali.
 
Continuo suspirando
deitado em minha cama gigantesca
e escrevendo solidão
com tinta fresca.
 
 
Ronaldo Silva, vendedor,  universitário

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras