Diário do Roda Livro 3: Cidadania

Por: Maria Luiza Salomão

30/05/2015
Foi no quiosque da Livraria Parlendas, que o Projeto Roda Livro promoveu uma Roda de Leituras sobre Folclore Brasileiro, na qual participei como mediadora de leituras. O Franca Shopping, sempre parceiro na divulgação e no acolhimento do espaço para a Geladeiroteca. Concentração e descontração entre pais, mães e sacizinhos, curupirinhas, cuquinhas: alegre manhã de sábado. Teremos outras. Ler é parte da nossa inserção na roda do mundo, na compreensão da roda íntima que nos faz movimentar.
 
13/06/2015
Três meses do Projeto Roda Livro! A Geladeiroteca não fica vazia, nem sozinha: gentes abrem a sua porta toda hora e o apetite para ler; espiam as novidades, conversam sobre suas escolhas. Livros maravilhosos entram e saem: de Shakespeare a Paulo Leminski, de Tomasi de Lampedusa (“O Leopardo”, sobre a integração da Itália) a Guimarães Rosa; eles vão embora... que voltem...
 
15/06/2015
Como manter esse Projeto? Doações têm sustentado o abastecimento: duas escolas até hoje, Pestalozzi e Toulouse; doações anônimas nas gavetas da Geladeiroteca; SENAC; a Biblioteca Pública, do Champagnat, com caixa coletora permanente, na solidariedade de Clemência. Outras cidades, através de amigos do Projeto, têm feito doações significativas: Ribeirão Preto, Jaboticabal, Sorocaba, Passos, Brodowski. Como torná-lo um patrimônio público? Brincadeira de passa-anel. Vamos? 
 
22/06/2015
Quem passar pela Geladeiroteca (defronte às Casas Americanas), e notar que está desarrumadinha, pode ajudar a colocar os livros em pé? Às vezes, ela está um primor, com livros organizados por tema. Às vezes, arrasadinha, misturança, como se uma bomba tivesse deitado por terra os edifícios (risos). (algumas mãos afoitas à procura de). As crianças mexem em todas as prateleiras. Deixamos a primeira prateleira (de baixo para cima) para que, livremente, escolham gibis e livrinhos deliciosos que evaporam rápido; na segunda: literatura infanto-juvenil, livros usados na escola, e os que caem no vestibular; na terceira, à esquerda, escritores francanos e à direita livros de poesias do mundo inteiro; nas duas superiores livros para adultos: auto-ajuda, religiosos, romances, contos, crônicas, ensaios. Didáticos, técnicos, dicionários, às vezes, ficam de trás das fileiras, assim como uma pequena montanha de livros “de amor” (Júlia, Sabrina, etc.). 
 
23/06/2015
Os funcionários do Shopping, lojistas e seguranças, estão envolvidos, sorridentes, prestativos, atentos ao Projeto, nos dando notícias constantes sobre a Geladeiroteca. O Brasil vive momentos de trevas, com exemplos terríveis de figuras graúdas, que não honram o Bem Público! Daí alguns se mostram céticos em relação ao retorno dos livros. Outros pensam que os livros têm rodado entre parentes e amigos - de quem os levou - e daí a demora a retornar. Mas talvez seja cedo para previsões: 103 dias! Calculamos que rodam por aí cerca de 3.000 volumes, desde 12/03, inauguração do Projeto. Que eles voltem para continuar a rodança... 
 
30/06/2015
Cremos, de verdade, nessa pequena atitude cidadã? Vamos contrariar as estatísticas que mostram o descaso com a propriedade coletiva no Brasil? 
 
P.S. visite a página Projeto Roda Livro no facebook. Precisamos da menina abertura para nova mentalidade, em crianças e adultos. 
 
 
Maria Luiza Salomão, psicóloga, psicanalista pela Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo, autora de  A alegria possível (2010)
 
 

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras