Querer

Por: Ronaldo Silva

Quero
as cadeias quebradas;
as algemas rompidas;
as palavras sangrando.
O bolero, a valsa e o rock.
 
Quero o que todos querem
mas só alguns se atrevem.
Quero que todos queiram
saber o que querem de fato.
 
Quero
o que há de azedo no mel;
o que há de inferno no céu;
o que de oculto há sob o véu;
a poesia viva no papel.
 
Quero só escrever.
Escrever até viver.
Viver até entender.
 
A riqueza do pobre;
a fé do ateu;
a contradição
do sim dizendo NÃO!
 
Quero não querer mais nada, por fim.
 
 
Ronaldo Silva, vendedor,  universitário
 
 
 

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras