Decisão

Por: Maria Luiza Salomão

317142

Toda decisão requer um luto.  A própria palavra: de-cisão. Cisão é ruptura. 

Às vezes me pergunto, ao observar uma paixão espumante, um delírio, manifestação intensa de sentimentos crus, não-pensados, não filtrados, se, em alguma instância, a pessoa decidiu. 
 
A vida é cheia de “X” e “Y”, mistérios, cruzamentos e encruzilhadas.  Enveredamos por um caminho X sem saber aonde irá nos conduzir, e por vezes perdemos, no Y, um braço de caminho, a indicar outro espaço e outro tempo, perdido no ato da decisão.  
 
A vida não se repete precisamente. Tudo se transformará, no ato da decisão. Inevitavelmente, o que deixarmos para trás definirá a história que carregamos e carregaremos.  
 
Forçoso ter muita atenção e uma boa leitura de sinais para que a decisão nos favoreça. 
 
Como ler os sinais? 
 
1. Observação. Atenção.  Saber é sentir, sentir é saber.  Mesmo no corpo, é preciso observar o grau de uma febre para diagnosticar a doença.   A febre é sinal, sintoma. 
 
Aliás, se o coração está a galope, é preciso estar atento e não deixar que nos arraste sem lé com cré. Sentimento é trator desgovernado...
 
2. Concentração.   Sem foco não há decisão. Não há escolha. O foco só pode ser dado pela história de quem decide. As raízes ditam a história da árvore, sobrevivem às colheitas fecundas, ou aos tempos áridos e secos. Vão-se as folhas, as flores e os frutos; as raízes permanecem. 
 
Aliás, um ser desraizado é um ser ameba, e vemos muitos assim, hoje em dia. Que pensam ser flexíveis, adaptáveis, e, no entanto, estão como fantasmas vagando no Hades, plasmas em forma humana, mas sem alma, sem coração, sem sentimentos, sem vida, na verdade.  
 
3.Discernimento.  Como separar joio do trigo, o Bem do Mal? Aquilo que é supérfluo, desnecessário do que é vital, essencial, núcleo duro que dá movimento e sentido para a vida? 
 
Aliás, evitar escolher é a via mais direta para fazer da vida uma loteria: 50% de chance de dar errado, 50% de chance de dar certo (ou porcentagens desequilibradíssimas para o desastre ou para o sucesso: azar ou sorte). Quantas vezes catástrofe! Vulcão inativo a jorrar, súbito, lavas em profusão destruindo o que levou séculos para se construir.  Perigosa loteria: roleta russa. 
 
Decidir é sentimento, nobre e decisivo, que define rumo, constrói edifícios. Diz a bíblia...quem constrói na areia...
 
Decidir é alicerce, definição de Norte.  Pobre de quem vaga em nuvens, em espumas, em aparências vãs. Namora fantasmas, agarra água nas mãos, abraça ventos. 
 
Decidir é exercício diário, hora-a-hora. Minutaria de ação a ser passada a limpo, para execução.  Ensaios podem prevenir erros, desvarios, catástrofes.  Pensar é ensaiar. 
 
Minute, antes de agir. Historie. Consulte raízes, as responsáveis pelos frutos.  
  

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras