Urbanas evidencia as relações entre moda, individualidade e empoderamento feminino

Por: Júlia Ruiz

352204
Como já aconteceu em grandes metrópoles como Londres  e Nova York, chegou a vez de São Paulo ganhar um livro de street style. Urbanas, livro e documentário,  mostra a diversidade da mulher brasileira apresentando em suas 260 páginas  cerca de 180 mulheres contemporâneas que habitam - ou transitam - pela Paulicéia, registradas por uma nova geração de fotógrafos, entre 2008 e 2016.
 
Além de documentar o genuíno espírito da moda de nosso tempo, a chamada "moda das ruas", URBANAS traça paralelos, a partir de uma abordagem antropológica cultural, sobre questões vinculadas a trajetória das mulheres na luta por independência e realização.
 
"Neste momento em que a questão feminina é tão premente, percebo ser  imprescindível que as mulheres tenham voz e espaço para se expressarem; deste modo  Urbanas amplia o espectro dos tradicionais livros de street style", relata Ricardo Feldman, autor do projeto.
 
As escolhas se pautaram na intuição e magnetismo das ruas. Nas estações de metrô, nos centros culturais e comerciais, em festas e locais religiosos, São Paulo revela um caleidoscópio de estilos ao celebrar as diferentes facetas das mulheres do País.
 
Urbanas “revela uma série de  exercícios de individualidade e empoderamento, comprovando que o vestir continua uma das armas mais eficazes na conquista das liberdades" define Érika Palomino no texto de quarta capa do livro.
 
Desvendar São Paulo e observar as mulheres retratadas em  Urbanas nos revela influências de diferentes épocas e lugares em uma grande explosão de universos pessoais. "Ser diferente, que era antes motivo de medo, passou a ser a premissa número um para alguém se destacar e deixar sua marca" descreve o stylist Dudu Bertholini no prefácio da obra.
 
O livro Urbanas  traz um projeto gráfico arrojado que surpreende não só pelas suas quatro diferentes opções de capa, todas prateadas e espelhadas, mas também por gerar curiosidade com janelas recortadas em algumas de suas páginas, como um zoom que orienta o olhar para o desvendar temáticas importantes da mulher contemporânea. 
 
Foi a partir dessa intenção do zoom, nessa busca por aproximação e intimidade, que nasceu o desdobramento audiovisual do projeto, o Web Documentário Urbanas , que elegeu 9 mulheres, entre as retratadas no livro, para um bate-papo informal. Sofás foram colocados nas ruas, oferecendo ao espaço urbano o aconchego de uma sala de estar, onde essas mulheres foram entrevistadas sobre os mesmos temas contemporâneos iluminados pelo livro: a ditadura da beleza, as novas famílias, a liberdade de ir e vir, além das questões sobre gênero, muito em pauta na imprensa e nas redes sociais atualmente.
 
"A ideia começou como um livro, mas vem crescendo e tomando forma em outras mídias e suportes, o audiovisual foi um caminho natural e a web é o próximo passo. Também existem tratativas para levar o projeto para outras capitais do Brasil", explica Ricardo Feldman, diretor de criação, curador e editor. Fundou a Livre Conteúdo em 2000, editora e produtora de conteúdo e projetos culturais. Realizou diversos projetos culturais ligados a moda, entre eles a curadoria da exposição  Bailes do Brasil, no Solar da Marquesa em SP, com o designer Jum Nakao; a direção da exposição Flávio de Carvalho Desveste a Moda Brasileira, realizada no MUBE – SP e MAM- RJ; a edição dos livros Sapato de Mulher, um Passeio pelo Imaginário das Brasileiras e 30 anos de Moda no Brasil. Lilian Pacce, Vanessa Rozan, Costanza Pascolato, Fernanda Young, Karla Girotto, Érika Palomino são algumas das personalidades retratadas na obra. 

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras