Um conto de Natal

Por: Angela Gasparetto

367645
Lá no céu a lua brilhava. As estrelas eram pontinhos luminosos que piscavam sem parar.
 
As duas meninas, uma de seis e outra de quatro, subiram na cama e ficaram a mirar o céu esperando o Papai Noel passar. 
 
Era naquela hora que o pai disse que ele viria. Viria com suas renas e com todos os presentes.
 
Esperaram, esperaram. Juntas encostadas uma na outra, adormeceram. O frio entrava pela janela, mas as meninas não acordaram.  Ao longe só se ouvia o barulho das cigarras a cantar.
 
Depois de um certo tempo, ao longe houve estrondos de fogos de artifício! As duas acordaram de repente e olhando o céu agora brilhante, tinham certeza de que o Papai Noel  havia passado em carreiras e elas não o tinham visto.
 
Gritaram ao mesmo tempo e saíram correndo pela porta do quarto.
 
_Ele passou, ele passou!!! – Papai, mamãe!”
 
Silêncio. Casa deserta. Luzes piscando no térreo.
 
As duas ofegantes desceram correndo as escadas, cada uma mais apressada que a outra.
 
No pé da mesma lá estava ele. Um tanto magro para um Papai Noel, mas os olhos, ah os olhos, eram alegres e reconfortantes.  Então uma olhou para a outra como se perguntando: “De onde conhecemos estes olhos azuis? “Não importa” – pensaram em uníssono, porque aos pés do Papai Noel risonho, duas caixas reluzentes as aguardavam.
 
“Um Feliz Natal a todos!” 

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras