GUERREIRA

Por: Janaina Leão

377115
Hoje é um dia muito feliz para a mamãe e para mim. A família somos nós duas. É com lágrimas nos olhos e o peito cheio de alegria que pude vivenciar este dia onde minha mãe se aposentou depois de 50 anos de trabalho. Vinte e cinco anos professora da prefeitura de Franca e 25 do Estado entre outros ofícios como cabelereira (conta ela que seu primeiro salário foi a tia Marta Barion quem pagou). Trabalhou também em escritórios e foi enfermeira no Samello. Minha mãe nunca faltava do trabalho. E não era adepta a greves pois, segundo ela, tinha medo de perder o emprego e tinha muita preocupação com quem as crianças iam ficar. Contrariando todos os primos petistas e membros da Apeoesp, ela sempre foi a primeira e a última a sair da escola, mesmo quando ninguém ia! Eu tenho orgulho disso sabe... 
 
Ela nunca fez corpo mole. Que nem quando ela entrou em trabalho de parto, e meu pai estava ausente – como sempre – e ela disse que foi tomar banho cantando, rezou a prece da Nossa Senhora do Bom Parto e foi sozinha de ônibus me pôr no mundo, mas é uma história que eu conto depois (risos). Lembro quando pequenininha minha irmã e eu ficávamos acordadas até as 23h, que era quando ela chegava de uma jornada de trabalho de 3 períodos. Nessa época ela dava aula de manhã na pré-escola formando crianças, à tarde no ensino médio formando adolescentes, e à noite no supletivo ensinando os adultos. A gente esperava nossa mãe que sempre levava um lanche ou um chocolatinho comprado perto da escola ou no caminho do trabalho para casa. Eram alguns minutos sagrados... minha avó era viva e minha irmã também... 
 
Entre outras centenas de horas memoráveis, ela ensinou pelo exemplo o que era ser pessoa do bem. Ia para a escola mesmo doente porque, segundo ela, e eu hoje confirmo: "as crianças são meu remédio, meu descanso: elas não me dão trabalho. É por causa desta linda guerreira que eu também me desenvolvo bem nas letras. Professora de português. Ela quem pagou a própria faculdade, pois meus avós não apoiaram... (longa história). Formou-se em Letras com ênfase em Francês e desde bem pequenas ela nos dava livros! Das capas mais belas aos conteúdos mais ricos. Tive uma avó guerreira também que hoje certamente de onde estiver estará muitíssimo orgulhosa. Tive um avô muito bravo mas também um homem muitíssimo trabalhador – foi sapateiro e depois policial, nascido no 1 de maio, dia do trabalho – dia que significa tanto nessa família “Leão”.
 
Minha mãe é das pessoas mais honestas e trabalhadoras que eu conheço...ser como ela é um ideal. Agradeço a Deus e ao Universo que conspirou para que este dia chegasse e a encontrasse em plena saúde física e mental porque amanhã, segundo ela: “ -vou ao supermercado assim que acordar, minha filha! Amanhã vou fazer almoço. Eu tô achando gozado isso de aposentar, mas oh, procura lá no site que você falou, um hotel em Santos, agora nós vamos viajar... E manda um recadinho pro meu ex-namorado. Conta que aposentei e que lhe quero bem.”
 
Eu faço tudo que você pedir mãe, menos deixar você namorar !!! kkkkk ( piada nossa) Que você fique feliz como te vi hoje, para sempre! Meu avô Patrocínio e minha avó Odette estão fazendo uma festa no céu e quem está tocando violão é a Nayara. E eu estou aqui pra te aplaudir e te cuidar, meu amor. “Fifilha”: Você é a mulher que eu mais admiro e amo nesse mundo. Me perdoe pelas falhas e gratidão, MÃE, pela minha vida e todo seu cuidado com a gente-  Odette, Nayara, Janaína, Patrocínio

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras