Mãe fora da caixa

Por: Ligia Freitas

377119
Mãe...
Única ponte entre o mistério e a vida,
Chama acesa que nunca se finda. 
Corpo, alma e coração. 
Lágrimas de amor e devoção. 
 
Ser mãe é ter o sexto sentido aguçado.
São olhos que enxergam no escuro, 
Ouvidos que escutam com barulho,
Boca que fala a língua dos anjos,
Mãos que curam qualquer desengano.
 
Ser mãe é aceitar a fragilidade do agir,
A humanidade do parir 
E a verdade de cada queda d’água. 
É ser feliz com um simples beijo de dormir 
E com a partida de quem espera a chegada. 
 
Ser mãe é receber o dom da leveza
Do cuidar, do nutrir e do amar.
É saber ser humanamente errante 
Na arte de educar.
 
É aceitar ser fora da caixa, 
Fora da casinha, 
Fora da linha.
 
É ser louca por pura lucidez,
É gritar por um talvez, 
É contar até três, 
É carregar a culpa do dia, tudo outra vez.
 
Ser mãe é usar a bolsa da coragem, 
A sandália da humildade 
E a capa invisível da sinceridade. 
 
É surpreende-se com um amor sem fim, 
É dizer à vida um sim.
É o despertar-se de um sono profundo, 
É levar aquele tapa na cara do mundo.
 
Ser mãe é assim: 
Livre para existir 
Mas não tão livre assim para sorrir. 
É que o seu sorriso somente se abre 
Ao ver outro se abrir.
É que o pôr do sol fica ainda mais intenso 
Fora da caixa
Onde há liberdade de sentir. 

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras