Fórum de Franca tem novo diretor. Arimatéa assume

Franca Local A- A+ 14/02/2014 Autor(a): Edson Arantes Função: Repórter Foto(s): Divaldo Moreira/Comércio da Franca
Fórum de Franca tem novo diretor. Arimatéa assume

A juíza Julieta Maria Passeri de Souza deixou ontem o cargo na administração do Fórum francano

Após quase dez anos administrando o Fórum de Franca, a juíza Julieta Maria Passeri de Souza deixou o cargo de diretora ontem. Responsável pela Vara do Júri, das Execuções e da Infância e da Juventude, José Rodrigues Arimatéa será o novo diretor do Poder Judiciário local até o dia 31 de dezembro de 2015. A troca faz parte de um pacote de mudanças que atingiu dezenas de Comarcas em todo o Estado após o desembargador José Renato Nalini assumir a presidência do Tribunal de Justiça de São Paulo em janeiro. 
 
A juíza era a diretora do Fórum da Comarca de Franca desde abril de 2005. Sob sua administração, estavam 18 juízes e cerca de 400 servidores. Julieta fez uma avaliação positiva dos resultados obtidos. “Peguei, é fato público e notório, um Fórum abandonado em todos os sentidos. Não tínhamos água nem café para beber. Consegui trazer quatro juízes auxiliares, instalamos três Varas da Família, uma de Juizado Especial Cível e uma da Fazenda Pública.”
 
Julieta intermediou junto à Prefeitura, em 2011, o processo que resultou na doação de uma área do município de 30 mil metros quadrados onde será construída a Cidade Judiciária de Franca. O Estado promete investir cerca de R$ 30 milhões na construção, sem previsão de início.
 
Enquanto as obras não começam, o Judiciário local atenderá no antigo prédio do Calçados Charm, na avenida Presidente Vargas, para fugir das enchentes que causaram transtornos e prejuízos às instalações atuais nos últimos dois anos. A reforma, supervisionada pela juíza, está em fase final e a mudança deve ocorrer em março. “Organizei muita coisa. Estou deixando a direção com a consciência tranquila e feliz”, disse Julieta.
 
Na manhã de ontem, Julieta encaminhou mensagem de agradecimento aos juízes pelo apoio e, também, pelas críticas que recebeu no período em que administrou o Fórum. “Aprendemos muito com as críticas”, afirmou. Ela disse que a indicação do cargo de diretor é uma atribuição do presidente do TJ-SP e que recebeu com naturalidade a mudança. “É um processo natural, não aconteceu nada. É uma questão de renovação mesmo. Somos em 18 juízes e eu recebi o apoio de 16 deles, que pediram minha recondução ao cargo. O doutor Nalini resolveu mudar, como fez em outras comarcas.”
 
Somente ontem, 15 atos do presidente do TJ nomeando novos diretores em comarcas diversas no interior do Estado foram publicados no Diário Oficial. Julieta Passarei disse que o Fórum de Franca continuará sendo bem cuidado e desejou boa sorte ao sucessor na direção. “O doutor Arimatéa é muito correto e competente.” A juíza permanecerá na 4ª Vara Cível da Comarca.

2 Comentários

  1. 1 pessoa gostou Gostei

    Concordo com o comentário do Vergonha!. E digo mais: esses lentíssimos juízes precisam ser mais ágeis. Participei de leilão judicial em outubro de 2012, arrematando uma casa e até agora não tomei posse do bem por que o juiz da vara tem se mostrado fraco e incompetente para assinar. Parabéns a juiza da 2ª vara do trabalho, que tem feito excelente trabalho.

  2. 8 pessoas gostaram Gostei

    Com todo respeito essa mudança de prédio foi a pior coisa que poderia ter acontecido aos contribuintes paulistas. Um prejuízo enorme aos nossos bolsos. Reforma e aluguel de R$90K por mês? Só com dinheiro público mesmo se faz essas coisas (e no Brasil) porque esta na cara que isso é um péssimo negócio ao pobre trabalhador. Muitos ja não tem dinheiro nem para paga por uma talia de água e comprar pó de café e gas quem dirá um aluguel desses por anos. Teria outras formas de resolver essa enchente por um preço mais justo. Somos um pais pobre, onde milhões vivem com salário minímo, essa é a verdade

Comente esta notícia

Não serão publicadas mensagens/comentários que desrespeitem a lei, apresentem linguagem ou material obsceno ou ofensivo, sejam de origem duvidosa, tenham finalidade comercial ou não se enquadrem no contexto da matéria comentada. A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do GCN Comunicação e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Seu comentário não será liberado instantaneamente. Antes, passará por análise da editoria on-line do portal.

*

*

*

Li e concordo com o código de conduta online.