08/07/2015 - Reportagem de Edson Arantes

‘Temos que buscar alternativas’

Foto de: William Borges/Comércio da Franca

Luiza Helena Trajano proferiu palestra no Fórum Moda e Marketing Francal na terça-feira, 7

Luiza Helena Trajano é uma das mulheres mais poderosas do Brasil segundo lista da revista Forbes. Presidente do grupo Magazine Luiza, ela acaba de ser indicada pela presidente Dilma Rousseff (PT) para assumir o comando da Autoridade Pública Olímpica, mais alto conselho decisório sobre a organização das Olimpíadas de 2016. É considerada uma das pessoas que mais conhecem o projeto olímpico do País. A empresária foi a atração de ontem no Fórum Moda & Marketing Francal. A palestra que fez, sobre os desafios do varejo para se adaptar ao atual cenário macroeconômico, reuniu centenas de pessoas na praça de eventos da feira. Foi aplaudida de pé. 

Dúvidas, sugestões, reclamações?

Whatsapp GCN

16.99122-0761

6 COMENTÁRIOS

Paulo Cesar Barbosa de Souza

11 de Julho 2015

Falou tudo hein Douglas, comeu o último pão de queijo da forma.

Gostei - (2 pessoas gostaram)

Douglas

10 de Julho 2015

Lambe-Botas???... Não classificaria Luiza Helena como uma lambe-botas . A postura que esta cidadã apresenta à frente da sua empresa e as posições que ela tem tomado frente à política nacional não são dignas de um título como esse. Precisamos analisar a posição profissional da empreendedora que, como diz o início da matéria, é uma das mulheres mais poderosas do Brasil segundo lista da revista Forbes. Enquanto tivermos pessoas e profissionais que classificam os outros dessa maneira, teremos sempre grandes empreendedores, com títulos Nobres como o nosso amigo Tio do Pão de Queijo. Quem usa codinome pra expressar sua opinião não demonstra que não tem opinião própria.

Gostei - (2 pessoas gostaram)

Adoniran Dino Thomaz

09 de Julho 2015

Funcioma assim. A Dilma busca as pessoas mais influentes do mercado pra que estas pessoas formem opiniões do tipo: Precisamos inovar, Buscar soluções para crise. Mas nunca jogar a culpa no governo. Em troca oferece um cargo do tipo coordenar as finanças das olimpíadas ou ela paga pra ser entrevistada num talk show. Mas não vi empresário nenhum dizendo: AO INVÉS DE FECHAR NOSSAS LOJAS E MANDAR FUNCIONÁRIOS EMBORA DEVEMOS BUSCAR ALTERNATIVAS Fácil plantar esperança na crise quando se tem ajuda de quem ta provocando a crise!!!

Gostei - (6 pessoas gostaram)

Edmar Luciano de Carvalho

08 de Julho 2015

Trabalho em São Paulo a 2 anos e meio. Tenho um cargo gerencial em uma das maiores empresas calçadistas do mundo. Hoje, visitei a Francal e vi uma nuvem negra de pessimismo no ar. Penso que no geral as pessoas e as empresas sempre procuram solucionar seus problemas fazendo mais do mesmo. Cadê o branding? Onde estão os estudos profundos para uma mudança de cultura, tanto de produto em design quanto de marketing? Onde está nosso otimismo nato de brasileiro? Gosto da postura da Luiza quando ela se refere a negação do hàbito de reclamar. Como disse anteriormente, ao visitar a Francal, vi uma repetição dos mesmos produtos em vários standes diferentes. Talvez, deixar de ir à europa para buscar sapatos e copià-los seja uma boa alternativa, pois a maioria faz a mesma coisa. Digo isso, com conhecimento de causa, que dá para fazer diferente!

Gostei - (5 pessoas gostaram)

Tio do Pão de Queijo

08 de Julho 2015

Como é difícil citar aspectos positivos do governo, não? Nem a lambe-botas da Luiza Helena conseguiu.

Gostei - (3 pessoas gostaram)

Darsio Batista

08 de Julho 2015

Como seríamos uma outra nação se a nossa classe política tivesse o perfil de Luiza Helena. Veja que em nenhum momento de sua entrevista demonstrou algum tipo de fanatismo por partidos políticos e muito menos concebe a crise apenas sob um enfoque negatiista. Demonstra claramente um projeto de Brasil e não de interesses particulares. Se o governo não vai bem, a oposição encontra-se num estágio muito pior. Não é novidade alguma que certos caciques políticos, dentre os quais o derrotado nas urnas Aécio Neves, deixam estampado em suas falas que o interesse é aniquilar o governo e toda a sua política econômica com a única finalidade de assumir o poder. Não possuem capacidade de propor alternativas viáveis para a economia brasileira e muito menos se preocupam com essa questão. Fazem de tudo para agravar a crise e arruinar o país, pois entendem que se trata do modo de sangrar a presidente e com isso se apoderar do poder. Aliás, se o senhor Aécio fosse tão bom assim, não seria ele rejeitado pela maioria dos mineiros. Infelizmente muitos brasileiros pegam carona nesse tipo de postura, haja vista que se criou todo um fanatismo por partidos políticos, como ocorre no futebol.

Gostei - (7 pessoas gostaram)
COMENTE
A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do GCN Comunicação e se comprometem a respeitar o

Código de Conduta On-line do GCN.

Li e concordo com o código de conduta online.