14/11/2017 - Reportagem de Marcella Murari

Vídeo mostra funcionária de creche pondo criança em saco

Foto de: Reprodução

No canto superior esquerdo da imagem, a mulher com o saco de lixo na mão

Enquanto as oitivas acerca do caso em que uma professora é acusada de colocar crianças em saco de lixo, em Restinga, continuam, imagens dela e de outras funcionárias usando o objeto para intimidar as vítimas estão circulando. 

Nesta terça-feira, 14, o GCN obteve imagens das câmeras de segurança da creche-escola "Célia Teixeira Ferracioli". Em uma delas, é possível ver uma funcionária tentando colocar o saco de lixo em uma criança de apenas 4 anos e puxando-a para si. Veja:


Além disso, outros vídeos mostram a professora acusada e responsável pela sala fazendo a mesma coisa com um menino que estava deitado, chegando a colocá-lo dentro do saco. Uma das funcionárias ainda usa uma raquete como forma de intimidar as crianças.
 
De acordo com o delegado Eduardo Lopes Bonfim, responsável pelas investigações, o inquérito foi instaurado como maus-tratos. Mas, dependendo das imagens que eles encontrarem no DVR apreendido da creche-escola no decorrer dos dias, a professora, a estagiária, uma professora substituta e outra estagiária podem responder por tortura. “As duas últimas não participam, mas ficam observando e nada fazem diante desse absurdo”, disse.
 
Em breve, ainda segundo o delegado, devem ser ouvidas as envolvidas na acusação. “Todas serão ouvidas na delegacia de Restinga, como temos feito com pais das vítimas e de outras crianças da sala. Também faremos oitivas com funcionários da Prefeitura. Não pretendo ouvir os meninos, pois eles já sofreram constrangimento suficiente diante desse caso.”

O outro lado
A reportagem tentou, no final da tarde de hoje, entrar em contato com a professora acusada através de seu advogado. Porém, ele não atendeu, tampouco retornou as ligações feitas. Na ocasião em que as investigações tiveram início, em outubro, o defensor afirmou que sua cliente alega inocência. “É um absurdo. Essa história não procede. São acusações infundadas e fantasiosas”, disse Rui Engrácia.
 
Já a Prefeitura de Restinga afirmou que a professora acusada, inicialmente, segue afastada. O mesmo será solicitado a respeito da docente substituta e uma outra sindicância interna será aberta para apurar sua conduta. Ainda segundo o órgão, as duas e a estagiária que aparece nas imagens podem ser exoneradas dos cargos que ocupam.

Dúvidas, sugestões, reclamações?

Whatsapp GCN

16.99122-0761

2 COMENTÁRIOS

PRISCILA NEVES

16 de Novembro 2017

FDP MEU ME DA UM ODIO VER ISSO PRA QUE ESSAS PRAGA ESTUDA PRA SER PROFESSORA INFELIZ DEVIA MORRER ESSA PESTE ENDEMONIADA

Gostei

Fabiano Segismundo

15 de Novembro 2017

Quem coloca seus filhos em creche o faz por necessidade e espera que eles fiquem em segurança. Se isso não ocorre, cabe até mesmo indenização por parte do poder público, que deve tomar as medidas necessárias para punir as pessoas envolvidas.

Gostei
COMENTE
A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do GCN Comunicação e se comprometem a respeitar o

Código de Conduta On-line do GCN.

Li e concordo com o código de conduta online.