03 de dezembro de 2021
Domingo, 21 de novembro
Um Lugar ao Sol é a novela com melhores índices do Globoplay
Cauã Reymond é o protagonista da novela Um Lugar ao Sol

"Um Lugar ao Sol" é a novela com a melhor performance no Globoplay, segundo a plataforma. Esse índice de sucesso é alcançado em comparação com as últimas quatro novelas da faixa das nove exibidas na TV Globo.

Quando são considerados os seis primeiros capítulos da novela, ela assume a vice-liderança entre todos os conteúdos mais consumidos da plataforma desde sua estreia, em 2015. A empresa não revelou quem é o líder dos programas exibidos por demanda.

Esses episódios iniciais estarão disponíveis para quem não é assinante do Globoplay nas próximas duas semanas.

Inédita pós dois anos
"Um Lugar ao Sol" é a primeira novela na faixa das 21h da Globo 100% inédita após quase dois anos. Desde seu lançamento, encantou a crítica e os internautas.

Sua estreia, entretanto, derrubou a audiência da faixa em seis pontos, embora ainda tenha espaço pela frente para crescer.

Logo na semana de estreia, dois jogos de futebol atrapalharam a transmissão, forçando a mudança do horário habitual. Na semana seguinte, com o amistoso da seleção brasileira de futebol, a exibição da trama foi jogada para depois das 22h.

Naquele dia, o capítulo teve 15,2 pontos, 0,6 a menos que "Gênesis", da Record.

Sexta-Feira, 19 de novembro
'Aqui em Franca foi demais, curti muito e quero voltar em breve', diz Kawe
Kawe durante apresentação na casa noturna 016 Lounge Club, em Franca

O cantor Kawe, uma das atuais sensações do trap nacional, se apresentou em Franca na madrugada do último domingo, 15. Com direito a casa cheia, ele cantou várias de suas músicas que estouraram, principalmente no TikTok, lançou uma letra inédita e diz querer voltar à cidade que o recebeu tão bem.

“O pessoal de Franca é um dos que mais me pediam para vir. Quando anunciaram o meu show, não consegui postar no meu Instagram que estava vindo para cá, mas o pessoal que sabia que eu iria vir, chamou bastante, falou que estava ansioso para colar. Foi demais, curti muito”, afirmou Kawe.

Essa é uma das primeiras passagens de Kawe pelo interior. Além de Franca, o cantor também esteve presente em cidades como Bariri e Bauru. Para ele, a sensação de estar no interior, longe da Zona Leste de São Paulo, local onde nasceu e morou, é uma sensação inexplicável.

"É um bagulho meio que surreal. Para quem veio do nada, do zero, conquistar tudo isso é loucura, irmão (...) O interior é diferente. Para nós, que somos da cidade grande, vir para cá é legal demais", disse.

Com, mais ou menos, 40 minutos de duração, a apresentação de Kawe começou por volta das 3h. O horário não foi inimigo. Centenas de jovens vibraram com a subida do cantor ao palco. A empolgação da plateia foi tanta que Kawe até resolveu lançar um trecho de música inédita que está trabalhando.

“Esse lançamento foi tipo uma brisa que nós tivemos mesmo. De uma hora para outra, nós gravamos, fomos para o estúdio, gravei a guia e gostei muito. Decidi soltar aqui para ver o que pessoal acha.”

A música, que ainda não possui o nome definido, cantada na casa noturna 016 Lounge Club, no Residencial Oswaldo Maciel, não tem data de lançamento ao público, mas o artista espera que em breve seja sucesso nas plataformas digitais.

A sensação do trapper foi tão boa ao se apresentar na cidade que já prometeu um retorno, que deve vir acompanhado também de um tour pelos principais pontos de Franca. “Quero voltar em breve, com mais tempo, quero curtir, quero dar um peão (sic) - porque nós somos seres humanos e só vir trabalhar é complicado.”

Kawe agradece pelo carinho recebido. “Um forte abraço para todo mundo que colou no evento. Obrigado pelo carinho de todo mundo”, finalizou.

Leia mais:
Um dos maiores nomes do rap nacional, Kawe faz show em Franca

Sexta-Feira, 19 de novembro
Espetáculo de companhia francana promove inclusão com tradução em libras
Atores Edinho Souza e Anabrisa Tamaso, no telão, com crianças atendidas por associação de surdos de Piracicaba

Além da cultura e do entretenimento, a inclusão faz parte da temporada online do espetáculo infantil Tic Tac Era Uma Vez. Em cartaz desde 23 de outubro, a peça da companhia francana Vovó Cachola possui tradução em libras e, assim, possibilita que pessoas com deficiência auditiva se aventurem pelo tempo mágico das histórias.

“O aprendizado em relação à acessibilidade, no sentido de entender as necessidades das pessoas com deficiência é algo muito importante para todos nós”, afirma a atriz e produtora cultural Anabrisa Tamaso, que fundou a Vovó Cachola com o ator e também produtor Edinho Souza.

A companhia, que surgiu em Franca há oito anos e é reconhecida pela valorização das tradições brasileiras, já proporcionou acesso à cultura nacional a um público de mais de duas dezenas de milhares de espectadores.

“E essa temporada do espetáculo Tic Tac Era Uma Vez é a primeira experiência da Cia. Vovó Cachola com acessibilidade para pessoas com deficiência auditiva ou surdas”, diz Anabrisa.

Para ela, esse é um caminho sem volta. “Este está sendo um grande passo para a nossa companhia. Depois desta experiência, não tem como a gente excluir essas pessoas, ou fazer de conta que elas não existem.”

O espetáculo Tic Tac Era Uma Vez faz parte do projeto O Tempo Mágico das Histórias, que já passou por Piracicaba, Araraquara, São Carlos, São José do Rio Preto e que neste fim de semana desembarca em Franca.

A exibição do espetáculo é online e gratuita, pelo canal do Youtube da Vovó Cachola. Em Franca será neste sábado, 20, e domingo, 21, sempre às 16 horas. E, apesar de ser direcionada à cidade e região, é aberta a todos, de qualquer lugar do mundo – a peça possui também legendas em inglês.

Inclusão

Na segunda apresentação desta temporada do espetáculo, em Piracicaba, no dia 24 de outubro, um grupo de pessoas atendidas pela Assupira (Associação de Surdos – Libras Piracicaba) se reuniu no Espaço Cultural e Teatral Guaratã para assistir ao Tic Tac Era Uma Vez.

“Nós fizemos uma parceira. Foi alugado o espaço, contratada a intérprete de Libras para fazer a recepção dessas crianças e traduzir o bate-papo (com os atores) após a veiculação (do espetáculo)”, explica a produtora cultural Anelisa Ferraz, responsável pela produção local da peça, acrescentando que o transporte também foi oferecido aos espectadores. “É uma luta de sempre inserir acessibilidade (...) e cultura é para toda a população”, completa Anelisa.

“Na medida em que procuramos entender o universo em que as pessoas com deficiência vivem, nós nos tornamos pessoas mais inclusivas, e não excludentes. Enquanto nos mantemos apenas no universo em que vivemos, nós nos mantemos excluindo pessoas. É importante que nos tornemos cada vez mais inclusivos para que todos tenham acesso”, finaliza Anabrisa.

SERVIÇO
Espetáculo TiC TAC Era uma vez
Franca: 20 e 21 de novembro, às 16h
Onde: Canal da Cia Vovó Cachola no YouTube (https://www.youtube.com/c/VovocacholaArtBr)
Duração: 60 min
Classificação: Livre
Apoio: Programa de Ação Cultural - ProAC ICMS, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, com patrocínio de Tonin Superatacado, Evasola, Varejão Irmãos Patrocínio, Tip Toey Joey e Estival Calçados.

Quinta-Feira, 18 de novembro
Camila Cabello e Shawn Mendes terminam o namoro
Camila Cabello e Shawn Mendes: término anunciado

Camila Cabello, 24, e Shawn Mendes, 23, não estão mais juntos. O casal anunciou o término do namoro em comunicado divulgado em suas redes sociais, na noite desta quarta (17).

"Olá, pessoal. Decidimos terminar nosso relacionamento amoroso, mas nosso amor um pelo outro como humanos está mais forte do que nunca. Começamos nosso relacionamento como melhores amigos e continuaremos a ser melhores amigos. Agradecemos o apoio de todos desde o início e no futuro. Camila e Shawn", diz o comunicado.

Cabello e Mendes assumiram o namoro em setembro de 2019, após várias especulações de que estariam se relacionando. Em 2020, eles decidiram passar juntos a quarentena imposta pelo coronavírus, o que inspirou o cantor a compor novas músicas.

"A pandemia e a quarentena têm sido aterrorizantes e realmente difíceis, mas algo realmente lindo para mim saiu disso", afirmou Mendes na ocasião.

 A última foto que eles publicaram juntos nas redes sociais foi no Halloween. 

Quarta-Feira, 17 de novembro
Em show de Henrique e Juliano, francana emociona público ao cantar Marília Mendonça
Clara Garcia consola o cantor Henrique em show em Araguaína (TO)

A cantora francana Clara Garcia fez uma participação especial no show de Henrique e Juliano em Araguaína, no Tocantins, e comoveu o público e a dupla ao cantar Marília Mendonça. Com a voz bastante parecida, a homenagem à cantora morta no dia 5 de novembro, vítima de um acidente aéreo, levou Henrique às lágrimas.

Clara cantou a música Estrelinha, parceria de Marília com Di Paullo & Paulino. A emoção foi tão grande que ela teve que amparar o cantor, que sentado no palco, chorava.

Nas redes sociais, a artista agradeceu o carinho da dupla. “Hoje quero agradecer primeiramente a Deus, pela oportunidade de conhecer vocês, e dividir esse momento tão lindo e emocionante que foi homenagear a mulher que sempre seremos fãs”, escreveu Clara.

A artista é nascida em Franca, mas vive atualmente na cidade de Gurupi, no Tocantins. Logo que soube da notícia da morte de Marília Mendonça, da qual é fã, Clara Garcia compôs e cantou uma música em sua homenagem, a Destino Infiel, que já passa de 127 mil visualizações.

Terca-Feira, 16 de novembro
Morte de MC Kevin foi acidental, diz Polícia do Rio ao concluir investigação
O funkeiro Kevin Nascimento Bueno, o MC Kevin, morreu no dia 16 de maio, vítima de uma queda do 5º andar de um hotel

A Polícia do Rio concluiu que a morte do funkeiro Kevin Nascimento Bueno, o MC Kevin, foi um acidente. Em nota, a 16ª Delegacia Policial (Barra da Tijuca), responsável pelas investigações, informou que vai sugerir à Justiça o arquivamento do inquérito "por falta de elementos que caracterizem crime".

MC Kevin morreu aos 23 anos após cair do 5º andar de um hotel na orla da Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio, na noite do dia 16 de maio. Segundo as investigações da polícia, o cantor tentou sair do quarto onde estava pulando a varanda para alcançar o andar inferior, mas perdeu o apoio, se desequilibrou e caiu. "Fato trágico, porém atípico, sem previsão legal penal para os envolvidos", diz o comunicado da corporação.

"Em novos depoimentos, as testemunhas não acrescentaram informações relevantes ou contraditórias às que já se haviam sido apuradas", completa a nota.

Conhecido por sucessos como "Cavalo de Troia", "Favelado Vencedor" e "O Menino Encantou a Quebrada", Kevin contava com 8,6 milhões de seguidores no instagram e 537 mil no YouTube. O artista, nascido na Vila Ede, bairro da zona norte de São Paulo, tinha feito várias parcerias com outros artistas do gênero como MC Guimê e Igu.

Kevin não era conhecido apenas por seu trabalho artístico, mas também por se envolver em confusões. Em janeiro deste ano, ele virou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais após fazer uma série de vídeos no Instagram minimizando situações de assédio.

Ele foi muito criticado ao insinuar que a culpa é das mulheres pelos comentários ofensivos masculinos em fotos sensuais. "Fica tudo de bundinha para fora nos Stories do Instagram, e é claro que vai ter homem que vai elogiar, sim, porque se vocês fazem isso é para elogiar. Agora não é porque fez um elogio, um bagulho que é machista ou 'Ai, você é ridículo'. Aí não dá", afirmou à época.

Em seguida, ele sugeriu que as mulheres postem imagens na igreja. "Então, para de postar fotinho de bumbum para o alto. Começa a postar foto de igreja com Bíblia na mão, com aquelas roupas de freira, faça isso. Agora não vem falar que qualquer homem é machista ", disse.

Já em maio de 2020, no auge da pandemida do coronavírus, Kevin, se envolveu em mais uma polêmica, após furar o isolamento social. Dessa vez, ele trocou farpas com a também funkeira Lady Chokey, que acabou acusando o músico de homofobia e disse que tomaria medidas cabíveis contra ele.

No início da semana anterior ao fato, Kevin confirmou que teve resultado positivo para Covid-19 e se desculpou por não manter o isolamento social. "Errei, errei mais feio ainda por não ter contido esse meu desejo de liberdade, natural em qualquer jovem da minha idade e expor as pessoas a minha volta", afirmou.

A atitude do funkeiro foi criticada por Lady Chokey, que o chamou de "moleque", e o acusou de homofobia por se referir a ela no masculino. "Não é porque você é amigo de Matheus Mazzafera que você deixa de ser homofóbico, transfóbico. Isso é um discurso totalmente ridículo, passado, batido."

Sexta-Feira, 12 de novembro
Um dos maiores nomes do rap nacional, Kawe faz show em Franca
Rapper Kawe sobe ao palco em casa noturna de Franca

Da zona Leste de São Paulo, especificamente de São Mateus, para o interior paulista. O rapper Kawe é atração confirmada em Franca. O show Do Funk Ao Trap acontece na casa noturna 016 Lounge Club, na noite deste sábado, 13.

Com shows marcados em Bariri, Bauru e Ribeirão Preto, Kawe chega a Franca embalado com novidades. O artista lançou, em parceria com o Vulgo FK, o clipe Melhor Hora – que bateu 100 mil acessos em seu lançamento no Youtube, nessa última quarta-feira, 10. Em parceria, mas agora com o artista Kalli, o rapper lançou a música Velho da Lancha, nesta quinta-feira, 11. Além da dobradinha, Kawe viaja em uma turnê pela Europa em dezembro deste ano.

Kawe começou sua trajetória nas batalhas de rima na capital paulista. Idealizador da Batalha da Praça, o hitmaker participou da Batalha de Conc, Batalha da Leste e Batalha da Roosevelt. Não demorou muito para o público reconhecer o seu talento e chegar à Batalha da Aldeia – uma das maiores rodas de hip-hop da América Latina.

“O rapper brasileiro mais ouvido do Spotify”.

Em fevereiro deste ano, Kawe superou grandes nomes como Hungria e Xamã, alcançando a primeira colocação do serviço de streaming de música. Ainda em novembro, o artista continua entre os primeiros colocados, com mais de 5,2 milhões de ouvintes mensais. Além disso, são mais de 500 milhões de visualizações no Youtube e 1,2 milhão de seguidores no Instagram.

“Salve, salve família. Kawe na voz aqui. Mano, passando para avisar que final de semana vou estar em Franca e estou muito, muito ansioso para esse momento, porque já faz dias que o pessoal daí (Franca) pede um show meu e me cobram. Dessa vez deu certo e graças a Deus estamos colando. Vamos chegar naquele jeitão, com energia máxima e é isso”, enfatizou o rapper.

O show Do Funk Ao Trap começa às 23h, na casa noturna 016 Lounge Club, na avenida Vicente Richinho, 269, no Residencial Oswaldo Maciel. Os ingressos estão sendo vendidos através do link disponível.

Quinta-Feira, 11 de novembro
Cristiana Lôbo foi atração durante Fórum Francal: 'Trabalhar faz bem'
Cristiana Lôbo, no estande do GCN/Difusora, na Francal 2016

A jornalista Cristiana Lôbo, 64, que morreu de câncer nesta quinta-feira, 11, concedeu entrevista ao GCN e à rádio Difusora durante a participação dela no Fórum Francal, realizado em junho de 2016, no Pavilhão do Anhembi, em São Paulo.

Na ocasião, a comentarista política da GloboNews foi a atração do evento e foi entrevistada ao vivo durante o programa Hora da Verdade, da rádio Difusora.

Cristiana comentou sua rotina de trabalho, disse que jornalista não tem horário, tem de agir quando a notícia acontece e afirmou que não "sofria" com o trabalho. "Trabalhar faz bem."

Entre outros assuntos, a jornalista disse que a então presidente afastada Dilma Rousseff (PT) não escaparia do impeachment e que a crise estaria passando. “As coisas estão começando a melhorar. A gente já enxerga luz no fim do túnel”, disse ela.

Além da entrevista à Difusora, o GCN trouxe, no dia 26 de junho daquele ano, uma rica entrevista com a comentarista da GloboNews.

A jornalista era muito querida e todos os companheiros da emissora estão trabalhando hoje com lágrimas nos olhos. Miriam Leitão, outra jornalista da emissora, chegou a chorar ao vivo durante sua participação em um programa na manhã desta quinta.

Terca-Feira, 09 de novembro
Cineasta do filme 'Rust' pode ter de amputar braço após picada de aranha em set
Equipe do Filme Rust antes dos acidentes

Não bastasse a terrível morte que aconteceu acidentalmente após tiro disparado por Alec Baldwin, agora o set do filme "Rust" se vê inserido em mais uma polêmica. De acordo com o TMZ, um cineasta que trabalha no longa foi picado por uma aranha e pode ter de amputar seu braço esquerdo.

As imagens do ferimento são muito feias. O cineasta Jason Miller foi contratado para ajudar a fechar o set de filmagem no Bonanza Creek Ranch, em Santa Fé, Novo México. Porém, acabou mordido pela aranha venenosa e foi parar no hospital.

A mãe do profissional disse à publicação que está com receio de o filho perder o membro. Também diz que está em busca de um advogado para entrar com um processo de indenização trabalhista. Miller precisará de um enxerto de pele para cobrir a ferida aberta quando ela finalmente começar a cicatrizar.

Esse transtorno vem à tona após o acidente que matou a diretora de fotografia Halyna Hutchins, 42, e feriu o diretor Joel Souza, 48.

Foi o próprio ator Alec Baldwin disse nesta segunda-feira (8) que acredita que as produções de cinema e televisão deveriam contratar policiais para monitorar as armas nos sets. "Todo set de filme/televisão que usa armas, falsas ou não, deve ter um policial no set, contratado pela produção, para monitorar especificamente a segurança das armas", disse Baldwin no Twitter.

As autoridades estão tentando determinar como uma bala de verdade foi parar na arma entregue a Baldwin. Os advogados da mulher responsável pelas armas de "Rust" disseram que ela acreditava que havia carregado a arma com balas fictícias.

Desde o incidente, produtores e membros de equipes de produção estão avaliando se novas medidas devem ser tomadas para evitar uma tragédia semelhante no futuro.

 Outros têm pedido pela proibição de armas reais em sets de filmes e televisão. O ator Dwayne Johnson disse na semana passada que suas futuras produções usariam apenas armas de borrachas durante as filmagens.  

Terca-Feira, 09 de novembro
Edy Britto & Samuel marcam presença no Mix 360° em Franca
O show acontece no Villa Eventos, na rodovia Ronan Rocha, no dia 20

Sábado, 20 de novembro. Três atrações cantando clássicos e novos sucessos da música sertaneja. Mesa ouro e prata, pista e o camarote “Cê Nem Chama”. Franca vai tremer com o Mix 360°. O show acontece no Villa Eventos, na rodovia Engenheiro Ronan Rocha, na saída para Patrocínio Paulista. 

A noite começa com o cantor Gabriel – que fazia dupla com Zé Henrique – com o seu novo trabalho em carreira solo. Um dos cantores de maior sucesso em Franca e região, William Cesar vai fazer um especial com as músicas de Bruno & Marrone, com participação especial do DJ Renatinho nos intervalos. 

Cotados como uma das grandes duplas do sertanejo universitário, Edy Britto & Samuel desembarcam pela primeira vez em Franca, cantando entre outros sucessos, a música Ponto G. “Você pode ter certeza que vamos fazer um show para arregaçar. Sem hora para acabar”, afirmou Edy Britto.

O evento acontece após liberação do Governo do Estado de São Paulo, que, desde o dia 1° de novembro, autorizou todos os estabelecimentos a funcionarem com capacidade máxima, sem limite de horário ou determinação de espaço, inclusive, baladas, eventos esportivos e shows em pé. Apesar da liberação, continua obrigatório o uso de máscara.

Leia mais:
Franca volta a receber grandes shows após quase dois anos de restrições

O setor de eventos comemora o retorno após o período de restrições. “Depois de tanto tempo parado o setor de eventos, todo mundo agora quer um bom lugar para curtir com amigos e família. Estamos oferecendo um evento de muita qualidade, diferente dos demais”, ressalta Mateus Garcia, organizador do Mix 360°.

O show começa às 21h, no Villa Eventos. Os ingressos podem ser adquiridos em quatro pontos: Bali Man, Mix Motos, Sacudidos e Wordsports. A compra também pode ser realizada pelo site Quero 2 Pay ou pelo telefone (16) 99349-3683.

Tabela de preços
Pista individual: R$ 50
Camarote individual: R$ 100
Mesa prata p/ 4 pessoas: R$ 360
Mesa ouro /p 4 pessoas: R$ 440

Segunda-Feira, 08 de novembro
Assessoria de Marília Mendonça diz que noticiar resgate da cantora não foi intencional
Avião que levava Marília Mendonça caiu após se chocar com fio de alta tensão

Momentos após o acidente que envolveu Marília Mendonça e sua equipe, a assessoria de imprensa da cantora revelava que a artista tinha sido resgatada e estava bem. Porém, alguns minutos depois chegou a informação do Corpo de Bombeiros que dava conta que ela havia morrido.

Na tarde desta segunda-feira (8), a equipe responsável pela comunicação de Marília enviou uma nota à imprensa para explicar o ocorrido. Segundo ela, o erro não foi proposital.

"Em conhecimento do acidente, a assessoria de imprensa da artista buscou informações de fontes confiáveis. Estas informaram que estaria tudo bem e que todas as pessoas estavam sendo conduzidas ao hospital, somente para realizar procedimento padrão", começa o documento.

Segundo o comunicado, após 20 minutos a informação mudou. "As mesmas [fontes] notificaram a equipe sobre a fatalidade. A notícia foi repassada primeiramente aos familiares das vítimas. Vale ressaltar que todas as informações foram disponibilizadas sempre baseadas em fontes confiáveis. Em nenhum momento o equívoco foi intencional".

A informação de que ela estava bem havia deixado os fãs mais tranquilos. Mas foi por volta das 18h que a assessoria voltou atrás e confirmou a morte da cantora, que deixa Leo, seu único filho, da união com o também cantor e compositor Murilo Huff.

Foi nesta ocasião que também foram confirmadas as mortes do produtor de Mendonça, Henrique Ribeiro, e de seu tio, Abicieli Silveira Dias Filho, além do piloto Geraldo Martins de Medeiros e do copiloto Tarcísio Pessoa Viana.

O acidente de avião aconteceu numa serra em Piedade de Caratinga, a 309 quilômetros de Belo Horizonte. A cantora tinha um show marcado para aquela noite de sexta (5) em Caratinga, a cerca de dez quilômetros do local do acidente.

Um violão dentro da capa e o caderno de anotações que Marília Mendonça costumava preencher com novas composições estão entre os objetos recuperados de dentro do avião após o acidente.

De acordo com a assessoria de imprensa da artista, além disso, foram recuperados três aparelhos celulares e a mala de viagem vermelha da cantora. Tudo foi entregue às famílias.

Domingo, 07 de novembro
O que se sabe sobre o acidente de avião que matou Marília Mendonça
Bombeiros trabalham no local do acidente

Na sexta-feira, 5, um avião que levava a cantora Marília Mendonça e outras quatro pessoas caiu ao lado de uma cachoeira em uma serra de Piedade de Caratinga, em Minas Gerais, que fica a 309 quilômetros de Belo Horizonte e a cerca de dez quilômetros de Caratinga, onde Mendonça faria um show naquela noite. Todas as pessoas à bordo morreram.

A queda ocorreu por volta das 15h, e a morte da cantora só foi confirmada por sua assessoria por volta das 18h. Antes disso, a equipe chegou a dizer que a artista e as outras pessoas que estavam no avião haviam sido resgatados com vida do local.

Veja abaixo o que se sabe sobre o acidente:

Vítimas e causas das mortes
Além de Marília Mendonça, 26, morreram no acidente seu tio e assessor Abicieli Silveira Dias Filho, sem idade confirmada; o produtor Henrique Ribeiro, de 32 anos; Geraldo Martins de Medeiros Júnior, 56, que pilotava o avião, e Tarciso Pessoa Viana, 37, que era copiloto no voo. Todos os tripulantes já estavam mortos quando a equipe de resgate conseguiu acesso à aeronave.

O médico-legista Pedro José Fernandes Nunes Coelho, do Instituto Médico Legal de Caratinga, responsável pelas autópsias, disse que ainda não é possível afirmar qual tipo de ferimento causou as mortes– isso só acontecerá em cerca de 20 dias, quando os exames de sangue, urina e vísceras serão concluídos.

Ele, no entanto, afirmou à reportagem da Folha que provavelmente a causa de todas as mortes foi politraumatismo. Segundo ele, as cinco vítimas morreram na hora do impacto. "A gravidade das lesões não permitiria a pessoa sobreviver. Foram muitas lesões letais em todos eles", afirmou.

Causas do acidente e investigação
O capitão da Polícia Militar, Jefferson Luiz Ribeiro, disse que a aeronave caiu ao tentar realizar um pouso forçado. Segundo Ribeiro, o piloto teve problemas ao aterrissar no aeroporto, localizado a cerca de dois quilômetros do local do acidente.

A Cemig, companhia energética mineira, confirmou em nota que o bimotor atingiu um cabo de uma torre de distribuição da companhia, além de dizer que a torre "está fora da zona de proteção do aeródromo de Caratinga, nos termos de portaria específica do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), do Comando da Aeronáutica Brasileira".

Dados registrados no Rotaer, do Departamento de Controle do Espaço Aéreo, uma espécie de catálogo de informações sobre todos os aeroportos do país, indicam dois obstáculos temporários no entorno do aeroporto, uma antena e uma torre. Há também registro de um obstáculo não iluminado, um morro, como uma notificação que a informação deve ser observada por quem voa no local.

Segundo o Cenipa – órgão da FAB, a Força Áerea Brasileira –, o avião não tinha caixa-preta, mas possuía um equipamento de geolocalização que pode dar coordenadas de onde a aeronave passou. O órgão não precisou em quanto tempo o relatório final com as conclusões das análises deve ficar pronto.

Em paralelo, a Polícia Civil também faz sua investigação, que apura responsabilidades criminais pela tragédia. A etapa inclui depoimentos de testemunhas e levantamento da documentação sobre a aeronave e a empresa proprietária.

Pilotos
A empresa PEC Táxi Aéreo, dona da aeronave que caiu, elogiou o trabalho dos dois profissionais. "A tripulação engajada na operação tinha grande experiência de voo e também estava devidamente habilitada pela Anac [Agência Nacional de Aviação Civil], com todos os treinamentos atualizados", dizia uma nota.

Modelo do avião Fabricado em 1984, o bimotor que transportava Mendonça era da PEC Táxi Aéreo, uma empresa com sede em Goiânia, cidade onde a cantora vivia e de onde tinha decolado. A firma tinha autorização para realizar o serviço de táxi aéreo, segundo a Anac, a Agência Nacional de Aviação Civil.

A aeronave, de modelo C90A, custa em torno de US$ 2,5 milhões, o equivalente a R$ 13,8 milhões. Raul Marinho, gerente técnico da Abag, a Associação Brasileira de Aviação Geral, afirmou que este é um dos modelos de bimotores mais seguros do mundo. Em dez anos, houve apenas 15 acidentes no Brasil com o modelo.

Equipe do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) trabalha no local do acidente de Marília Mendonça neste sábado (6).

Segundo a Anac, o avião estava com o CVA, Certificado de Verificação de Aeronavegabilidade, válido até 1º de julho de 2022. A empresa já havia recebido uma denúncia anônima sobre as condições do avião que levava Marília Mendonça. O órgão, no entanto, afirmou à reportagem que um suposto aquecimento dos para-brisas do avião foi rejeitado, após ter sido constatado que a peça havia sido trocada.  

Domingo, 07 de novembro
Murilo Huff diz que se sente 'perdido' com morte de Marília Mendonça
Marília Mendonça, Murilo Huff e o filho deles, Léo

Após breve manifestação sobre a morte de Marília Mendonça (1995, 2021) na manhã deste sábado (6), Murilo Huff, 26, voltou às redes sociais após o enterro da artista para relembrar a relação com a cantora, que morreu nesta sexta-feira (5), vítima de um acidente aéreo.

"Sigo aqui, ainda sem palavras, mas já vi que isso não vai passar. Não tão cedo. Você foi sem avisar e deixou um buraco dentro de mim. Um buraco que ninguém nunca vai conseguir tapar", começou o cantor e compositor, que em seguida falou do filho que teve com Marília, Léo, de quase dois anos.

"Talvez esse pequenininho correndo aqui na sala me ajude a enfrentar sua falta. Ou talvez ele me faça sentir mais falta ainda, porque ele é sua cara. Eu não sei. Eu tô perdido. Mas te prometo que vou encontrar o caminho e vou cuidar dele, com todas as minhas forças", garantiu o cantor, conforme pedido feito por ela, "na última mensagem, antes de entrar naquele avião.

No desabafo, que se assemelha a uma carta para a artista, Huff se compromete a cuidar não apenas do filho, mas também da mãe dela, Ruth Moreira, do irmão, João Gustavo, e até mesmo do padrasto Deyvid Fabrício . "Eu juro que queria ter agora pelo menos 1% da força que você sempre teve. Pra poder aguentar essa dor", lamentou.

Ele finalizou agradecendo à Marília por tudo que viveram juntos nos quase quatro anos em que se conheciam e relacionaram e também declarando o carinho que sentia pela cantora. "Muito obrigado por sempre ter acreditado e respeitado o meu sonho. Muito obrigado por ter me amado. Muito obrigado por ter deixado eu te amar. Eu vou te amar pra sempre sua teimosa", finalizou.

O artista compartilhou ainda diversas fotos ao lado da cantora tanto na postagem quanto no Instagram Stories. Além disso, ele homenageou também outras duas vítimas do acidente: o produtor musical, Henrique Ribeiro e o tio da sertaneja, Abicieli Silveira Dias Filho.

A relação entre Marília e Huff foi marcada por idas e vindas, mas também por respeito e amizade. Em julho de 2020, quando o casal anunciou a primeira separação, a cantora negou boatos de traição e elogiou o ex-companheiro. "Ele é um cara muito respeitador, tenho muito orgulho de ter meu filho com ele. Ele é do bem, lutador, batalhador, de família", escreveu ela, nas redes sociais, na ocasião.

No mesmo dia, Huff também se pronunciou: "Eu e a Marília estamos bem um com o outro", escreveu. "Nós sempre nos respeitamos muito e eu tenho muito orgulho dela, de ter tido e criado um vínculo eterno com ela, que é o nosso filho", acrescentou. "Sou extremamente grato por cada minuto da vida que ela compartilhou comigo durante esses anos. O respeito vai continuar pra sempre entre nós."

O casal reatou o relacionamento em novembro do mesmo ano, mas se separou novamente. Em setembro, após confirmar novo rompimento, a sertaneja pediu respeito e voltou a dizer que havia sido muito feliz com Huff.

"Atrás de dois cantores, existem três vidas. Lembrem-se disso. Se tem uma história verdadeira é que a gente foi muito feliz e tentou de tudo, demos nosso máximo. E isso é honroso. Agora sigamos em paz. Sou muito grata a esse relacionamento por tudo", escreveu.
"Respeitem as pessoas. Respeitem os finais. Respeitem os motivos. Apenas isso! Respeitem como você gostaria de ser respeitado", concluiu ela.

Marília, conhecida como a rainha da sofrência e uma das maiores vozes da música brasileira contemporânea, morreu aos 26 anos na tarde desta sexta-feira. A informação foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros de Minas Gerais em nota enviada à imprensa.

A cantora foi uma das cinco vítimas de um acidente de avião que caiu numa serra em Piedade de Caratinga, a 309 quilômetros de Belo Horizonte. A artista tinha um show marcado para a data em Caratinga, a cerca de dez quilômetros do local do acidente.

A queda ocorreu por volta das 15h. A princípio, não se sabia se era a cantora quem estava a bordo da aeronave. Foi a semelhança do bimotor visto num vídeo que ela tinha compartilhado no Instagram duas horas antes que despertou a dúvida. Em tom cômico, a publicação mostrava Mendonça embarcando e se alimentando.

 Além de Marília, Henrique e Abicieli também morreram no acidente aéreo o piloto Geraldo Martins de Medeiros e o copiloto Tarcísio Pessoa Viana.  

Sábado, 06 de novembro
Marília Mendonça é enterrada no cemitério Parque Memorial Goiânia
Cortejo da cantora Marília Mendonça

O corpo da cantora Marília Mendonça foi enterrado por volta das 18h45 deste sábado (6), no cemitério Parque Memorial Goiânia após um cortejo de 1h40, feito pelo corpo de bombeiros. A cerimónia foi reservada para os familiares e amigos próximos da cantora.

O cortejo com o corpo da cantora e seu tio e assessor Abicieli Silveira Dias Filho chegou ao Cemitério Parque Memorial Goiânia por volta das 18h30. A chegada foi registrada por aplausos e buzinas de fãs.

O trajeto durou mais de uma hora, sendo que a previsão inicial era de 30 minutos. O carro dos bombeiros que levava o corpo da cantora andou em velocidade baixa e chegou até a parar para que os fãs pudessem prestar as últimas homenagens.

De cima do carro dos bombeiros, os cantores Henrique e Juliano, que acompanham o corpo de Mendonça, acenaram para os fãs. Pessoas acompanham o cortejo durante todo o trajeto, aplaudindo, tirando fotos e prestando diversos tipos de homenagens.

 Em frente ao cemitério Parque Memorial Goiânia, dezenas de policiais aguardaram a chegada do cortejo com o corpo da cantora. A todo momento, policiais retiraram fãs do local que é reservado apenas para familiares e imprensa.  

Sábado, 06 de novembro
Bombeiros de MG finalizam trabalho no local do acidente de Marília Mendonça
Bombeiros trabalham no local do acidente

Os bombeiros de Minas Gerais finalizaram, na tarde deste sábado (6), os trabalhos de estabilização e retirada de pertences do avião no qual viajava a cantora Marília Mendonça. Militares da corporação apoiavam o trabalho de representantes da FAB (Força Aérea Brasileira) recolheram documentos e outros materiais no local do acidente, em Caratinga (MG), para fins de investigação.

A partir de agora, o local fica sob os cuidados da Aeronáutica e outros órgãos competentes para perícias e demais providências.

A cantora Marília Mendonça morreu aos 26 anos em um acidente de avião na zona rural de Piedade de Caratinga (309 km a leste de Belo Horizonte, em Minas Gerais). Além da artista, outras quatro pessoas foram vítimas do acidente. São eles o assessor e tio da cantora, Abicieli Silveira Dias Filho, seu produtor, Henrique Bonfim Ribeiro, conhecido como Henrique Bahia, o piloto e o copiloto, Geraldo Martins de Medeiros e Tarciso Pessoa Viana.

O avião que levava a cantora atingiu o cabo de uma torre de distribuição de energia elétrica antes de cair em um curso d'água, conforme informou a CemigA Cemig também detalhou que após o acidente cerca de 33 mil pessoas, que dependem da Linha de Distribuição (LD) Caratinga 1, ficaram sem energia. (Companhia Energética de Minas Gerais), que administra o fornecimento de eletricidade na região.

 A aeronave que caiu pertence à PEC Taxi Aéreo, empresa sediada em Goiânia, e foi comprado em julho de 2020, segundo dados da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). De modelo Beech Aircraft, a aeronave foi fabricada em 1984 e tinha capacidade para seis passageiros.  

Fim dos Posts

Nenhuma página para carregar

Próxima página