15 de dezembro de 2019
Quinta-Feira, 12 de dezembro
Elenco de 'La Casa de Papel' anuncia data de estreia da nova temporada
Pedro Alonso (Berlin), Alba Flores (Nairobi), Darko Peric (Helsinki), Rodrigo de la Serna (Palermo) e Esther Acebo (Estocolmo)

A esperada estreia da quarta temporada de La Casa de Papel ganhou data neste domingo, 8, durante o painel da Netflix na CCXP 2019. Reunidos no evento, Pedro Alonso (Berlin), Alba Flores (Nairobi), Darko Peric (Helsinki), Rodrigo de la Serna (Palermo) e Esther Acebo (Estocolmo) divulgaram que os novos episódios da série chegam ao catálogo da plataforma no dia 3 de abril.

No painel, os fãs puderam conferir algumas cenas inéditas da próxima temporada. Pouco se sabe sobre os próximos episódios, mas o elenco adiantou que serão tempos difíceis.

"O grupo está muito ferido depois de tudo o que aconteceu e precisa se reordenar", afirmou Alba Flores. Salvar a vida de sua personagem, aliás, será uma das prioridades da quadrilha na quarta temporada.

Flores não deu indicativos sobre o futuro de Nairobi. "O que posso dizer?", brincou quando questionada sobre o destino da personagem. "Nesta temporada, os roteiristas irão contra as expectativas. Acho que Nairobi vai sofrer", afirmou.

Apesar do momento complicado, Pedro Alonso é otimista. "Por trás do roubo há uma família. E quanto mais a história se desenvolve, mais profundo se torna o amor entre eles", disse.

The Witcher

A Netflix também dedicou uma parte do seu painel para a série The Witcher, que estreia no dia 20 de dezembro. Baseada na saga homônima do escritor polonês Andrzej Sapkowski, a produção mescla épico e fantasia.

Para surpresa do público, Henry Cavill, que interpreta o protagonista Geralt of Rivia, apareceu no palco do painel. O ator e a criadora da série, Lauren Schmidt Hissrich, exibiram com exclusividade três cenas da produção e o trailer final da série.

Quinta-Feira, 12 de dezembro
Ricky Martin compartilha foto da filha com o artista plástico Jwan Yosef
Ricky com a filha Lúcia

Ricky Martin está encantado com a filha Lúcia. O cantor e Jwan Yosef também são pais de Renn e dos gêmeos Matteo e Valentino.

Ricky e Jwan ficaram noivos em 2016 e o anúncio foi feito durante o programa de Ellen DeGeneres.

Quando os gêmeos nasceram, há nove anos, Ricky Martin já expressava o desejo de ser pai de uma garotinha. "Acho que o amor que sinto pelos meus filhos é tão fascinante que desejo para o mundo o que sinto por eles. Quero sentir mais e eu quero uma garotinha", declarou na época.

Nesta quarta-feira, 11, o cantor usou as redes sociais para compartilhar um momento de carinho com Lúcia. "A dona dos meus sonhos", escreveu na legenda da foto em que a menina aparece com uma fantasia de leão.

Quinta-Feira, 12 de dezembro
Pais de Rafael Vitti, João e Valéria, se casam após 25 anos de união
João Vitti e Valéria Alencar

Nesta quarta-feira (11), João Vitti, 52, e Valéria Alencar, 54, se casaram em um cartório no Rio de Janeiro. O casal que está junto há 25 anos resolveu oficializar a união tendo os dois filhos, Rafael, 24, e Francisco, 22, como testemunhas. A nora, Tatá Werneck, 36, também compareceu ao evento.

Rafael usou suas redes sociais para parabenizar os pais e contar sobre a cerimônia budista que aconteceu após união civil. "Onze de dezembro... mais uma data especial... Casamento oficial dos meus pais depois de 25 anos de união. Eu amo vocês!!! Muito!!!! Foi lindo demais!!! ... Teve a cerimônia budista com muita cantoria, dança, amor, carinho, amigos, alegria, alto astral e simplicidade! Do jeito que vocês merecem. Meus votos de felicidade paro casal que eu mais amo no mundo".

O casal resolveu se unir oficialmente após João pedir Valéria em casamento no último dia 28 de outubro por meio de uma postagem no Instagram. "Em 28 de outubro de 1994, o 'Lúcio' de 'Éramos Seis' (SBT, 1994) fascinado pelo sorriso luminoso da 'Francisquinha' de 'As Pupilas do Sr. Reitor' (SBT, 1994-1995) criou coragem e se declarou pra moça", iniciou o ator relembrando como começou a história dos dois.

João continuou falando que o propósito que os unia era a felicidade e em seguido fez o pedido. "E lá se vão 25 anos de João e Valéria, o avesso do avesso um do outro, unidos por um único propósito: ser feliz! Valéria, eu te disse lá atrás que quando chegássemos nas bodas de prata eu te pediria em casamento. Então, chegou o dia: Lúcia Valéria, minha pretinha, você aceita se casar comigo?".
 

Quinta-Feira, 12 de dezembro
Lair Rennó, do Encontro, deixa Globo após 20 anos e diz que aguarda uma janela maior se abrir
Lair com a apresentadora Fátima Bernardes

Conhecido por atuar ao lado de Fátima Bernardes no programa Encontro, o jornalista Lair Rennó não faz mais parte do quadro de profissionais da Globo. A emissora confirmou o desligamento nesta quarta-feira (11), mas não informou o motivo.

"Após 20 anos de uma trajetória conjunta de sucesso, carinho e respeito, sendo sete anos ao lado de Fátima Bernardes no 'Encontro', Lair Rennó se despede da Globo. No ar desde a estreia do matinal, em 2012, Lair permanece no programa até o final do ano", diz o comunicado oficial.

Em entrevista ao Gshow, Lair disse sentir orgulho de sua trajetória, iniciada em 2001 na EPTV, afiliada da Globo no Sul de Minas Gerais, e garantiu estar saindo com as portas e o coração abertos: "Este não é um caminho de despedida da Globo, é um momento de 'até breve'. Vou fazer deste momento uma boa notícia para uma janela maior se abrir".

Em contato diário com o jornalista há sete anos, a apresentadora Fátima Bernardes ressaltou o talento do agora ex-colega: "Ele é um cara que canta, ele é um cara que conta piada, é um ótimo contador de histórias. Tem um jeito mineiro delicioso de conversar. Acho que ele vai em busca deste caminho. Vou ficar na torcida para que ele venha a fazer aquilo que vai fazê-lo mais feliz."

O comunicador disse estar pronto para novos desafios, que podem incluir um projeto, segundo ele, "mais personalizado". Enquanto as novidades não chegam, ele continuará se apresentando com o espetáculo "Olá, Lair", que retorna aos palcos após o Carnaval de 2020: "Vou voltar com um novo show, inclusive vou trazer histórias com a Fátima, porque eu não abro mão", completa.
 

Quinta-Feira, 12 de dezembro
Marcos Mion lança 3º livro em homenagem aos filhos
Mion com os três filhos

O apresentador Marcos Mion, 40, fez nesta quarta-feira (11) o pré-lançamento do livro "Detone este Livro com Seu Filho', uma homenagem ao caçula Stefano, 9. Ele também é pai de Donatella, 11, e Romeo, 14.

A obra leva a algumas reflexões sobre a importância de passar mais tempo ao lado dos filhos e ainda propõe 46 atividades para divertimento em família, dentre elas, desenhos, jogos e cartas para brincar.

De acordo com Mion, o livro visa estimular o tete a tete e menos a tecnologia, embora saiba que ela é importante.

"Não queria combater a tecnologia porque não sou contra ela. O livro vem para ser ferramenta para o pai na batalha diária de diminuir o tempo na frente do celular. Hoje nós somos totalmente reféns. Eu sempre fui muito criativo com meus filhos porque é na brincadeira que eles vão perguntar coisas diferentes", analisa Mion.

Ele explica o que as pessoas vão encontrar na obra. "Pensei em atividades que fossem divertidas, mas que dessem origem a outras coisas, outras conversas, dúvidas. Serve para atiçar a criança criativamente, com desafios de variados tipos e até para promover o amor em família", explica ele, que conta que todas as atividades foram testadas e aprovadas por ele e por Tefo, como chama o menino.

O livro, apesar de ser feito ao lado do filho homem, serve para ambos os sexos. "Quando escrevi o 'Pai de Menina', tirando a parte que serve especificamente para o público feminino, o resto serve aos dois. Estamos falando de educação, de amor, o que muda é a linguagem. As atividades do livro de agora podem ser feitas com meninas também. É que uma multidão me pedia o 'Pai de Menino'. Então agora ele existe."

O livro não contou com ajuda de pedagogos nem especialistas. "É a visão de um pai que se dedica 24h por dia aos seus filhos. Baseado na minha vivência e no que aplico com eles. E consigo sentir que pego em pontos que são buracos em comum nos pais, tanto em aceitar autismo [do filho Romeo] como em ser pai de menina e de menino nos dias de hoje."

Mion revela que não vai parar por aí. Os três filhos já têm obras em homenagem. E em 2020 a sua mulher, Suzana Gullo, também será lembrada. "Toda história de escritor começou com pedido do meu agente literário para eu escrever sobre minha vida e dedicação familiar. Começamos escrevendo pelos meninos, mas esse é o novo projeto do ano que vem, um livro para falar de tudo o que vivemos juntos [ele é Suzana]."

E por falar em Suzana, engana-se quem pensa que a fábrica do casal fechou. Mion revela que tem uma ideia de, quem sabe, ter mais um filho ou adotar. "Não vou te falar que não, deixarei fluir, tenho espaço vago na tatuagem da família nas costas. Tenho quatro flâmulas nas costas e uma está vazia. São os nomes dos meninos. Pretendo um dia preencher, mas vamos com calma", conclui.
 

Quarta-Feira, 11 de dezembro
RedeTV! oficializa contratação de Leo Dias para o 'TV Fama'
Leo Dias será o editor-executivo do TV Fama

Após sair do SBT, onde apresentava o Fofocalizando, o apresentador Leo Dias foi oficialmente contratado pela RedeTV! nesta quarta-feira, 11.

Leo Dias será o editor-executivo do TV Fama "responsável por coordenar o projeto que definirá o novo formato do programa", segundo comunicado divulgado pela emissora.

Leo Dias já havia trabalhado na RedeTV entre os anos de 2013 e 2016, como repórter no próprio TV Fama.


 

Quarta-Feira, 11 de dezembro
Com brigas, última festa de A Fazenda reúne todos os peões da edição

Realizada na noite desta terça-feira (10), a última grande festa de A Fazenda 11 reuniu os três finalistas com os ex-participantes da edição.

Foi Diego Grossi quem leu, ao lado de Hariany Almeida e Lucas Viana, o comunicado da produção sobre o evento.

"Diego, Hari e Lucas, já se passaram 87 dias que vocês estão na Fazenda. Foi uma temporada repleta de diversão, emoção e surpresas. Vocês cuidaram dos animais, se divertiram nas atividades, disputaram provas, ganharam prêmios e curtiram todas as festas. Chegou o momento de festar pela última vez e brindar à grande final. Relembrar tudo o que aconteceu de mais marcante, reencontrar os personagens que fizeram parte de A Fazenda 11. Parabéns, finalistas!", celebrou com os colegas que disputam a final.

Mesmo em clima de nostalgia, a festa contou com bastante bebedeira e algumas brigas. O "bafo" ficou por conta de Tati Dias, que tirou satisfação com Hari sobre as críticas da peoa sobre seu comportamento no reality.

"Juro que eu passei dois dias em casa chorando. A Bifão chamou você e ficou falando que foi um livramento de Deus eu sair. E você foi junto, dizendo que ia abrir os olhos. Eu não acreditei no que ouvi", reclamou.

Além disso, Tati também tirou satisfação com Guilherme Leão sobre uma brincadeira que ele fez com Bifão na festa. O casal ficou discutindo por cerca de uma hora.

"O que aconteceu ali que eu não entendi? Jogando gelo na Bifão? É sério? A pessoa que você ficou roçando o p** o tempo todo aqui dentro? Vocês são amigos agora?", disse a moça bem irritada.

Guilherme rapidamente se defendeu e se indignou. "Eu não tava fazendo nada, você tá querendo arrumar motivo faz tempo. Conseguiu o que queria ao vivo. Eu não sei qual que é, você tá querendo arrumar treta, falou que não ia beber e bebeu".


 

Quarta-Feira, 11 de dezembro
'Querem que censura volte, mas hoje em dia é mais difícil', diz Gilberto Gil
Gilberto Gil

BRUNO GHETTIRIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Gilberto Gil diz ter vergonha de ver seus filmes antigos. Não por um constrangimento em relação a sua obra ou ao seu estilo de cantar (e se vestir) em outros tempos, mas por um natural recato de se ver registrado em produtos audiovisuais.

"Eu tenho com relação a essas cenas todas, de programas de TV, reportagens, filmes, é uma timidez. E o gozado é que é mesmo por causa do movimento [das cenas], porque com fotos eu não sinto isso", diz o músico à reportagem, em entrevista em seu estúdio, no bairro da Gávea, zona Sul do Rio.

Por isso, talvez seja um pouco desconfortável para o baiano assistir ao documentário "Gilberto Gil - Antologia, Vol. 1", porque é justamente de imagens dele (tanto antigas quanto atuais) que o filme é massivamente composto. O longa teve sua estreia nacional na tarde desta terça (10), no Festival do Rio. Outra sessão acontece nesta quarta (às 15h15, no estação NET Rio Botafogo).

O filme parte de um conceito curioso: Gilberto Gil assiste a vídeos antigos de sua carreira, em que canta alguns de seus maiores sucessos. Em seguida, reage a cada um, tecendo algum comentário sobre o surgimento de cada canção –ou mesmo sobre alguma especificidade de cada vídeo musical.

Assim, o público ouve Gil contar histórias deliciosas. Por exemplo, ela detalha como "Expresso 2222" surgiu após uma viagem de LSD. Conta que "Se Eu Quiser Falar com Deus" foi composta para Roberto Carlos, que não quis gravar. "Acho que tinha restrições com [a letra, que menciona] 'o pão que o Diabo amassou'", ri Gil, em trecho do filme. Há ainda o relato de episódios divertidos, como um breve encontro com Salvador Dalí, e depoimentos reiterando seu fascínio por João Gilberto, Luís Gonzaga e Jorge Ben Jor.

A direção é de Lula Buarque de Hollanda, que já comandou vários projetos audiovisuais envolvendo o baiano, como o documentário para a TV "Filhos de Gandhy" (1999) e o DVD "Kaya N'Gan Daya" (2002). A nova colaboração entra em cartaz no canal pago Curta! em 23 de dezembro.

"Resolvi não cortar as músicas mais conhecidas para servir de documento para as novas gerações", explica Hollanda, que espera um dia poder fazer um "volume 2" do documentário, seguindo a mesma linha.

"Quando destravar esse processo na Ancine, esse projeto deve acontecer", diz, referindo-se à atual crise na agência reguladora do cinema brasileiro. As imagens escolhidas pelo diretor vão de 1966 a 1983 –coincidentemente (ou talvez nem tanto), um período em que o Brasil ainda vivia a Ditadura Militar.

"Naquela época não tinha política cultural do governo. Ou até podia haver, mas não nos afetava", diz Gil, que foi ministro da Cultura entre 2003 e 2008, na era Lula. "Essa atenção da sociedade da instituição cultural, isso é muito recente. Não existia propriamente naquela época. Ali, a única coisa que a gente tinha de ligação direta com o governo era a censura [risos]."

Mas o músico não vê a censura mais como algo restrito ao passado brasileiro. "É tudo o que eles [o governo Bolsonaro] querem: que volte. Mas hoje em dia é mais difícil", diz Gil.

"Hoje em dia, as pessoas têm noção de que a música é importante, como o teatro, o cinema, a dança, a pintura... As pessoas sabem o significado de uma Bienal, sabem o significado de uma instalação moderna... Quando a 'Tropicália' [instalação de 1967, que batizou o Tropicalismo] do Hélio Oiticica apareceu, a gente nem sabia o que aquilo significava. Hoje em dia, qualquer intervenção nova vai para a primeira página dos cadernos de cultura, o noticiário, as mesas de discussão."

"Os jovens se mobilizam, e não só os universitários, mas [também] os secundaristas. Os meninos das escolas primárias de São Paulo estão indo agora para ver a exposição da Tarsila [do Amaral, no Masp, que bateu recorde de público]", exemplifica o cantor.

Gil demonstra que, de certo modo, já esperava que nomes ultraconservadores fossem indicados pelo governo Bolsonaro para cargos importantes na Secretaria Especial da Cultura. "Essa vontade de controle absoluto e de imposição de modos de ser, de compreender... A necessidade de uniformização da compreensão, do 'isso aqui é certo, isso é errado...'. O aparelhamento que estão tentando fazer, na verdade, é uma repetição [do que ocorre com] todas as gerações que chegam ao poder, com suas noções e seu espírito. Chegam com esse desejo da imposição da sua estética, de seu campo de valores."

Indagado especificamente sobre a recente escolha de um militante de direita para a presidência da Fundação Cultural Palmares, Sergio Nascimento Camargo, que disse não existir "racismo real" no Brasil, Gil reage sem o estarrecimento que muitos esperariam. "Uma semana depois ele está fora! O próprio campo dele, que propõe esse modo de intervenção, tem que recuar. O campo geral, que é o da sociedade, reage imediatamente", diz Gil.

"Todo esse medo, esse conservadorismo no comportamento, essa coisa da agenda dos costumes, isso tudo é processado permanentemente, diariamente, por todo mundo. Então não adianta..."

A organização dos vários grupos sociais em defesa da diversidade e das minorias, segundo Gil, é capaz de resistir a imposições religiosas. "Antigamente, estava todo mundo submetido aos desígnios da religião, das classes dominantes –que por sua vez estavam todas elas articuladas com esse campo da fé, do entendimento da vida como um reflexo da compreensão de Deus. Uma coisa que a religião reivindicava para si, que é o perdão, hoje ela é praticada permanentemente– no campo da tolerância, da compreensão sobre a diversidade. Então isso saiu da mão da imposição religiosa", explica o músico.

"Por exemplo, quando você tem uma pauta querendo retomar a coisa religiosa como modo de imposição de maneiras de ser, de viver, de interpretar, o sucesso é cada vez menor. Claro que eles arregimentam, porque é residual esse temor de Deus, como a figura vigilante lá de cima... Mas também é cada vez maior também o amor de Deus, que é um Deus aberto, da fraternidade, da mudança."

Mas o que pensa Gilberto Gil sobre o futuro do Brasil, após Bolsonaro?

"O Brasil, como cada vez mais qualquer país ou grupo nacional, depende da totalidade internacional. Se o mundo for para o lado mais representativo desse governo que está aí, possivelmente teremos que nos submeter à hecatombe. Mas se for para o outro campo, do desenvolvimento, da ciência [...], aí não tem jeito: o Brasil vai junto", diz o cantor.

"Se você vê toda a investigação sobre os caminhos futuros da humanidade, o que vem aí com a nanotecnologia, com a biotecnologia... Antigamente quem fazia milagre eram os santos e deuses. Hoje, é a Ciência."


 

Quarta-Feira, 11 de dezembro
Pai de Camila Pitanga, Antônio Pitanga fala pela primeira vez sobre namoro da filha com artesã: 'Aprovado'
Antônio Pitanga com a filha Camila Pitanga

O ator Antônio Pitanga, pai da também atriz Camila Pitanga, falou pela primeira vez sobre o namoro da filha com a artesã Beatriz Coelho. Em entrevista ao programa TV Fama! durante a abertura do Festival do Rio, o ator, de 80 anos de idade, diz que já conhece a nora e que aprova o novo casal.

- Os filhos vêm da gente e depois eles andam com as próprias pernas e criam asas para o mundo. Nenhum pai ou uma mãe é dono de um filho. Está aprovado o namoro, sempre. O que os meus filhos fizerem, eu vou aplaudir e abençoar, disse ele.

Vale lembrar também que o namoro de Camila e Beatriz começou no final de 2018, mas só foi revelado e assumido publicamente em novembro deste ano. A primeira vez que as duas apareceram juntas foi no início de dezembro, na pré-estreia do longa Uma Garota Chamada Marina, em um cinema da Gávea, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

Quarta-Feira, 11 de dezembro
'Estou vivo!', comemora Agnaldo Timóteo após ficar meses internado devido a AVC
Agnaldo Timóteo

Agnaldo Timóteo comemorou o fato de estar vivo durante o programa Conversa com Bial nesta terça-feira, 10. Em maio, o cantor foi internado em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Barreiras, no interior da Bahia, com pressão alta de sofreu AVC. Uma semana depois, o quadro de saúde dele piorou e chegou a respirar com ajuda de aparelhos.

"Eu estava morto. Tanto que o jornal botou: 'Morre Agnaldo Timóteo'. Mentira! Eu tô vivo, seu canalha!", disse o cantor durante bate-papo com Pedro Bial. Após ficar um tempo na UTI e apresentar episódios de confusão mental, Agnaldo Timóteo ainda recupera os movimentos das pernas. Para isso, realiza sessões de fisioterapia.

"Você sabe que as pessoas que entendem Agnaldo Timóteo, que gostam de Agnaldo Timóteo, rezaram muito por mim e Deus me atendeu. E eu estou vivo!", comemorou. Agnaldo Timóteo é conhecido pelos sucessos românticos e gravou 74 discos. Durante o programa, recebeu o carinho dos fãs, que gravaram vídeos em sua homenagem.

Quarta-Feira, 11 de dezembro
Anitta lamenta morte de bailarino do clipe Vai, Malandra
Anitta e Rodrigo Motta

A cantora Anitta, 26, se manifestou na manhã desta terça (10) sobre a morte de Rodrigo Motta, 28, que ficou conhecido por sua participação marcante no videoclipe da música "Vai Malandra".

O rapaz teria sido executado nesta segunda (9) após uma discussão. O motivo da briga ainda não foi esclarecido pela polícia.

"Meus sentimentos à família e amigos do Rodrigo Motta que participou do meu clipe de Vai Malandra. Recebi essa notícia pela internet e fiquei estarrecida. Matar ou morrer virou algo banal no Rio de Janeiro. Isso tem que acabar", publicou a artista em uma rede social.

Carioca, Motta trabalhava como dançarino, modelo e bartender. Ele era morador da comunidade do Vidigal, onde o videoclipe foi gravado. Em cena, ele aparece de sunga vermelha, andando pela laje onde estão Anitta e outras moças usando biquíni feito com fita isolante.

A morte foi anunciada por Márcio Motta, irmão do dançarino, na internet. "É com enorme pesar que venho informar o falecimento do meu irmão hoje pela manhã. Logo informarei o dia e horário do velório para as últimas homenagens", postou.

Terca-Feira, 10 de dezembro
Ana Maria Braga faz tatuagem com nome de novo namorado
Ana Maria Braga

Desde que Ana Maria Braga surgiu abraçada em um shopping no Rio de Janeiro com um homem misterioso, em meados de novembro, muito se especulou sobre se a apresentadora do Mais Você estaria namorando. E, na última segunda-feira, dia 9, Ana deixou todos os fãs enlouquecidos ao postar uma foto, em seu Instagram, em que aparece com uma suposta tatuagem com o nome Johnny, no braço esquerdo.

Segundo informações da revista Marie Claire, Ana Maria estaria, de fato, namorando com o francês Johnny Lucet, de 55 anos de idade, e que teria conhecido o amado em sua última temporada de férias, quando passou algumas semanas na França.

O ESTRELANDO entrou em contato com a assessoria da apresentadora para confirmar se trata-se de uma tatuagem, e aguarda posicionamento. 

Vale lembrar que a jornalista estava oficialmente solteira desde 2009, quando terminou com Marcelo Frisoni. Ainda bem que ela parece feliz, né? 

Terca-Feira, 10 de dezembro
Beyoncé fala sobre as mudanças em sua vida após sofrer abortos
Beyoncé

Beyoncé falou, em entrevista para a revista Elle, sobre diversos aspectos delicados da sua vida, como os efeitos de abortos, a relação com os três filhos e os cuidados que ela toma com o corpo.

Perguntada sobre possíveis desapontamentos por não ter recebido prêmios após o álbum Lemonade e o documentário Homecoming, a cantora comentou que depois de ter sofrido alguns abortos e ter tido Blue Ivy, sua filha mais velha, ela passou a ver o sucesso de forma diferente.

"Ter tido abortos me ensinou que eu tinha que ser uma mãe para mim mesma antes de poder ser uma mãe para outra pessoa. Então, eu tive Blue [sua filha], e a busca por propósito se tornou mais profunda. Eu morri e renasci em minha relação, e a busca por mim mesma tornou-se ainda mais forte. É difícil para mim ir para trás. Ser a número um não era mais minha prioridade. Minha verdadeira vitória é criar arte e um legado que irá viver além de mim. Isso é realizador", comentou Beyoncé.

A cantora, que estampou a capa deste mês da edição canadense da revista Elle, também falou sobre seu corpo, e disse que seu eu do passado não teria acreditado se falassem para ela sobre as mudanças corporais pelas quais passaria, e que ela estaria se sentindo mais segura agora, com as novas curvas.

"Os filhos e maturidade me ensinaram a me valorizar para além da aparência física e a realmente entender que eu sou mais que o suficiente, não importa em qual estágio da vida eu esteja", concluiu.

Beyoncé também revelou que a coisa que mais a estressa é tentar balancear a vida pessoal com o trabalho. Isso vai desde estar presente para seus filhos, ter encontros com o marido, o rapper Jay Z, e estar em casa para jantar com a família. E fazer tudo isso enquanto cuida de uma empresa pode ser, segundo Beyoncé, "desafiador". "Equilibrar todos esses papéis pode ser estressante, mas eu acho que essa é a vida de uma mãe que trabalha", relatou.

Terca-Feira, 10 de dezembro
Marie Fredriksson, do duo sueco Roxette, morre aos 61 anos
Marie Fredriksson, vocalista da banda Roxette

A cantora sueca Marie Fredriksson, vocalista da banda Roxette, morreu na manhã desta segunda (9), aos 61 anos. Ela lutava contra um câncer há 17 anos. A informação foi confirmada por um comunicado oficial de seu empresário.

"Não faz tanto tempo que nós passamos dias e noites em meu pequeno apartamento dividindo sonhos impossíveis. E que sonho nós eventualmente pudemos dividir! Estou honrado por ter conhecido seu talento e generosidade. As coisas nunca mais serão as mesmas", escreveu o guitarrista Per Gessle, seu parceiro musical, em suas redes sociais.

Marie começou sua carreira musical em Halmstad, onde conheceu e ficou próxima de Gessle. Em 1984, a cantora lançou seu primeiro álbum solo, "Het Vind".

O grupo Roxette, formado por Marie e Gessle, foi fundado em 1986. Com o single "The Look", do segundo disco, "Look Sharp", a dupla ficou famosa no mundo inteiro. Com mais de 80 milhões de discos vendidos, hits como "Listen to Your Heart" e "It Must Have Been Love" marcaram os anos 1990.

Em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, em 1999, o grupo falou sobre seu processo criativo e seu álbum "Have a Nice Day", lançado em fevereiro daquele ano. "Per faz a maioria das músicas. Estou envolvida musicalmente em apenas duas canções desse disco ["Have a Nice Day"]. Per escreve as letras e as músicas, e eu canto algumas delas", disse Marie.

"Isso só funciona porque nós nos conhecemos há muitos anos. Sei o que Marie vai odiar, o que ela nunca vai cantar e sei o que funcionará", completou Gessle.

Em 2002, Marie foi diagnosticada com um tumor no cérebro e teve que ficar fora dos palcos até 2009, para afastar-se novamente em 2016 e cuidar de sua saúde. Os últimos shows da dupla no Brasil foram em 2011 e 2012.

Marie nasceu em 30 de maio de 1958, no sul da Suécia. Ela deixa o marido, o tecladista, Mikael Bolyos, e dois filhos.

Terca-Feira, 10 de dezembro
Whindersson Nunes sensualizando com seus cabelos é o tuíte mais curtido do ano
Whindersson Nunes

O influenciador e humorista Whindersson Nunes mostrou mais uma vez que reina nas redes sociais. Um tuíte postado por ele com um vídeo de 48 segundos em que encarna, com sua característica ironia, o papel de modelo e sensualiza com seu cabelo foi a postagem mais comentada no Twitter brasileiro neste ano.

Foram 341.201 curtidas até a publicação deste texto, além de 54.820 retuítes e 6.500 comentários. Na legenda, Whindersson não perde a chance de mais uma piada e lança: "Marina Ruy Barbosa, porque está chorando?".

O humorista tem ainda outros dois posts na lista dos dez mais divulgados de janeiro até 15 de novembro, segundo o Twitter. Em segundo lugar, o vídeo em que canta a música que compôs em homenagem ao cantor Gabriel Diniz, autor do hit "Jenifer", morto em maio deste ano em um acidente aéreo. São mais de 284 mil curtidas. E, em sétimo, o susto que dá em Sofia, irmã mais nova de sua mulher, Luísa Sonza.

O ranking traz também ilustres desconhecidos. O terceiro lugar, por exemplo, é a usuária Lelia, que angariou 280 mil curtidas com vídeo em que dança com o avô em eu aniversário de 103 anos.

Como esperado, o piauiense Whindersson também está na lista dos tuiteiros mais comentados do Brasil, uma espécie de "conjunto da obra" do ano. Ele fica em oitavo lugar.

No topo da lista, está Luscas, o engenheiro autointitulado "presidente do Twitter" e cujas postagens são seguidas por 5,93 milhões de pessoas.
 

Fim dos Posts

Nenhuma página para carregar

Próxima página