COVID-19

COVID-19

'Ano passado, chegamos a atender 350 pacientes num dia. Neste ano, passamos de 500', alerta presidente da Unimed

'Ano passado, chegamos a atender 350 pacientes num dia. Neste ano, passamos de 500', alerta presidente da Unimed

Com 110 profissionais da instituição afastados com covid-19, o número de pacientes em busca de atendimento no hospital Unimed/São Joaquim só aumenta.

Com 110 profissionais da instituição afastados com covid-19, o número de pacientes em busca de atendimento no hospital Unimed/São Joaquim só aumenta.

Por Higor Goulart | 14/01/2022 | Tempo de leitura: 1 min
da Redação

Por Higor Goulart
da Redação

14/01/2022 - Tempo de leitura: 1 min

Reprodução

Presidente do hospital Unimed/São Joaquim, Daniel Haber

O presidente do hospital Unimed/São Joaquim, Daniel Haber, alertou os pacientes e colaboradores da instituição a respeito do atual momento da pandemia. Com vários profissionais da instituição afastados porque estão infectados pela covid-19, o número de pacientes em busca de atendimento na instituição só aumenta.

Segundo Haber, nem o pior dia do ano passado chegou próximo a fluxo de pacientes que o hospital tem atendido atualmente. “No pior momento no ano passado, nós atendemos no nosso Centro de Triagem um máximo de 350 pacientes em um dia. Já atendemos neste ano, no mesmo local, mais de 500 pacientes em um único dia.”

Além do grande fluxo de pacientes com sintomas do vírus, Haber alerta para a taxa de positividade, que em alguns dias ultrapassou 50%. “Naquela época (ano passado), a taxa de positividade dos exames era de 30% a 35%.”

Outro ponto que preocupa o presidente da Unimed Franca é a contaminação de profissionais do próprio hospital. Atualmente, mais de 110 profissionais de saúde da instituição estão afastados, causando dificuldades no atendimento.

“Tudo indica que isso não deva melhorar nas próximas semanas. O que é preocupante, porque estamos com uma falta de profissionais da saúde. Temos toda a estrutura e preparação, mas sem os profissionais da saúde, isso não vai adiantar nada.”

Apesar de toda essa situação preocupante, Haber comemora a única "boa notícia" em meio a tudo isso: a maioria dos casos é leve. “A maioria dos casos é leve e não necessita de internação. Isso é diferente do ano passado, principalmente, pela questão da vacinação e pela Ômicron ser uma variante mais leves e não causar tantos impactos no quadro pulmonar.”

O presidente do hospital Unimed/São Joaquim, Daniel Haber, alertou os pacientes e colaboradores da instituição a respeito do atual momento da pandemia. Com vários profissionais da instituição afastados porque estão infectados pela covid-19, o número de pacientes em busca de atendimento na instituição só aumenta.

Segundo Haber, nem o pior dia do ano passado chegou próximo a fluxo de pacientes que o hospital tem atendido atualmente. “No pior momento no ano passado, nós atendemos no nosso Centro de Triagem um máximo de 350 pacientes em um dia. Já atendemos neste ano, no mesmo local, mais de 500 pacientes em um único dia.”

Além do grande fluxo de pacientes com sintomas do vírus, Haber alerta para a taxa de positividade, que em alguns dias ultrapassou 50%. “Naquela época (ano passado), a taxa de positividade dos exames era de 30% a 35%.”

Outro ponto que preocupa o presidente da Unimed Franca é a contaminação de profissionais do próprio hospital. Atualmente, mais de 110 profissionais de saúde da instituição estão afastados, causando dificuldades no atendimento.

“Tudo indica que isso não deva melhorar nas próximas semanas. O que é preocupante, porque estamos com uma falta de profissionais da saúde. Temos toda a estrutura e preparação, mas sem os profissionais da saúde, isso não vai adiantar nada.”

Apesar de toda essa situação preocupante, Haber comemora a única "boa notícia" em meio a tudo isso: a maioria dos casos é leve. “A maioria dos casos é leve e não necessita de internação. Isso é diferente do ano passado, principalmente, pela questão da vacinação e pela Ômicron ser uma variante mais leves e não causar tantos impactos no quadro pulmonar.”

3 COMENTÁRIOS

A responsabilidade pelos comentários é exclusiva dos respectivos autores. Por isso, os leitores e usuários desse canal encontram-se sujeitos às condições de uso do portal de internet do Portal GCN e se comprometem a respeitar o Código de Conduta On-line do GCN.

Ainda não é assinante?

Clique aqui para fazer a assinatura e liberar os comentários no site.

  • Rodrigo
    14/01/2022 1 Curtiu
    Pasmem... Péssimo atendimento na pandemia e outrora a ela. Plano de saúde com a mensalidade altíssima e qualidade péssima.
  • Carlos
    14/01/2022 1 Curtiu
    daqui a pouco o gcn pede lockdown! jornaleco!
  • Rogerio
    14/01/2022
    Pergunta pra ele quantas pessoas migraram do regional e eles absolveram sem aumentar o número de médicos, vcs fazem matérias sempre pela metade.