As horas

Por: José Antonio Pereira

Ante meus olhos insones
Cheios de ausência e silêncio
A distância veste de festa
A paisagem que se derrama
Na tênue tela espelhada
Na luz de sonho e dormência
Que a lua do sol empresta.
 

Ah! Ponteiros da noite,
Que correm contra os sonhos...
E levam a leveza do eterno
Deixando um peso triste e estranho
Sobre tudo que se encontra!
 

Ah! Minutos do sempre,
Que salvam as horas medonhas...
Que guardam em cofres furtivos
O que fazemos do que amamos
E deixam não se sabe onde
O que realmente somos!
 
 
Regina Helena Bastianini
Professora, poeta  autora de  Eu e o  mundo (1990), Entrenós (2003), Contraponto (2006)

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras