Taceo, video

Por: Eny Miranda

Não foi a pedra do inesperado
Que impediu o bom fluir das águas,
Embaraçou espaços e bloqueou caminhos.
Nem foi, tampouco, o vendaval da fala,
Vertiginando ares,
Vociferando súbitas, ácidas, palavras,
Que corroeu o verbo e mil versos possíveis.
Não foi o fel de um momento áspero,
A atitude acética a vinagrar doçuras,
Que sufocou a verve e ofuscou encantos,
Ao assaltar instantes de paz e poesia.

Foram as chispas do olhar granítico,
Pétreas faíscas de paixão e ódio,
Que estilhaçaram os cristais sonoros
E fulminaram os leves arco-íris
Da sensibilidade e do encantamento.
Desnortearam bússolas
E cardinais afetos,
Embaciaram múltiplos
lúcidos reflexos
E desviaram águas
no correr do rio.

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras