Eu e ele

Por: Silvana Bombicino Damian

A trepadeira escondeu totalmente o muro com suas folhas e florzinhas suculentas e vermelhas. Foi quando eu o vi. Mínimo, peito verde metálico e hiperativo. Ele ia e voltava tocando com seu bico fino e longo o colorido que brotava daquele fundo verde, num bailado e revolteio que me pareceu exagerado e exibicionista. Achei que ele estava se mostrando para mim... Mas espera aí; ele nem sabe que eu existo! Na realidade ele nem sabe que ele próprio existe. Quem pensa logo existe sou eu! E fiquei ali, pensando e existindo, com meus olhos “sapiens” olhando do mais alto da escala evolutiva aquele serzinho voando serelepe que existe, mas nem sabe disso porque não pensa, (eu sei por que penso, logo existo), tão intenso em seu não pensar. Só asas e flores. Coitado.

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras