Crianças

Por: Farisa Moherdaui

Criança é beleza, luz, espontaneidade que nos surpreende a cada dia. E assim são todas as crianças; as suas, as minhas, as crianças do mundo inteiro.

Ana Luiza, minha neta de onze anos, vem demonstrando prazer e criatividade ao lidar com o mundo das artes, principalmente as letras e a dança. Tudo muito simples, criancices mesmo, mas que prendem a atenção e emocionam a gente grande.

Numa noite dessas, o teatro municipal de Batatais estava lotado por familiares e amigos que esperavam pelas suas crianças numa apresentação de ballet. Era festa de encerramento de ano; simplesmente um show de graça e leveza.

Ao final do espetáculo entre aplausos e aclamações as gentis bailarinas deixam o palco mas Ana Luiza permaneceu no cenário. Nas mãos uma simples folha de papel, uma vez que ali mesmo no teatro e poucos minutos antes da apresentação, houve tempo para redigir um singelo texto sobre o que, para ela, a dança representa. Assim:
 

A dança
Ana Luiza Vieira Kehdi
11 anos

No ilustre compasso, cada passo flui suave e tranquilamente.

É o reconhecedor da harmonia e em sua companhia a estranha porem linda melodia que dá à dança um sentido e que cada qual interprete do seu jeito.

A dança é misteriosa, mas tão gostosa para quem está de dentro e para quem esta de fora.

E de forma bela e singela, ela, a dança, conquista e encanta a quem vê e a quem dança.

P.S.: Não houve correção, nem interferência; algumas falhas sim, mas bem ao modo como Ana Luiza redigiu o texto.

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras