“Pé da letra”

Por: Tânia Liporoni

Entrei no local e já gostei, assim, logo de cara. Acho que pelo aconchego, a familiaridade. E, o cuidado com que tudo está sendo feito: a reforma, os detalhes, a organização dos itens. É incompreensível pensar que nossa cidade, com quase trezentos mil habitantes, possua apenas uma livraria e sebo, o Almanaque. Agora, a nossa “Pé da Letra” está sendo inaugurada, ali na rua Major Claudiano, próxima à antiga Unesp. E, com que cuidado! Há uma área para eventos, cafeteria com mesinhas, espaço para autores francanos, canto reservado aos adolescentes, outro para os infantes, e muitas prateleiras para a acomodação de livros. Como é bom sentir o seu volume, como é boa a sensação de manuseá-lo nas mãos. Sim, é possível, e, às vezes, até mais fácil comprá-los pela internet. Mas nada como, antes, dar uma pesquisada geral, olhar os lançamentos, verificar no que se está falando, o tema daqueles dias, e claro, saborear um cafezinho com aqueles que também gostam de estar lá. Um lugar assim nos traz a sensação de estarmos vivos, de sermos pessoas interagindo. Temos que prestigiar a iniciativa para que ela não perca a força logo após o nascimento. Respirações assim, com cheiro bom, não acontecem todo dia.

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras