Eu te proponho

Por: Tânia Liporoni

Sempre gostei de estender a mão para você. Ah! Pegar naquela mãozinha para protegê-la, para atravessar a rua, impedir que se perdesse, direcionar-lhe os caminhos. Mesmo agora que muitas multidões se passaram, pego a sua mão de outras formas. E, muitas vezes, é você quem segura a minha.

Ao invés de dar as costas, vou tentar fazer isso também com o novo ano. Estender-lhe a mão e aguçar a sua fluidez, sua generosidade. Para se ter algo, nada melhor do que oferecer o mesmo. Acho que assim as coisas tendem a ficar mais fáceis. Venha cá. Vou te dar a mão, e talvez, você pegue na minha.

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras