O porquê de termos irmãos

Por: Josiana Paula Borges

Um irmão te faz ver coisas para as quais sendo sozinho você não daria atenção. E te faz rir em certas situações que choraria se estivesse só. Um irmão é um amigo, mas tem um “plus”. Na verdade, vários “plus”...

Irmão é quem vai te ensinar que na vida você terá que dividir suas coisas, sim: seja comida, seja a atenção dos pais, seja o colchão, o quarto, o brinquedo, os primos, o cachorro. Vai te ensinar que muitas vezes prevalece a lei do mais forte, do mais velho, do mais esperto. Não vai poupar franqueza e risadas de você ou para você. Muito embora dar risadas de você seja mais frequente e pareça ser mais divertido para ele. E isso fortalece o espírito esportivo, vejamos pelo lado bom!

Irmãos fazem você se sentir mais forte: na chegada da escola no primeiro dia, na hora de levar a bronca pelo vaso quebrado ou quando chegar em casa com a voz embargada e os olhos cheios de lágrimas, afinal, são mais braços para te abraçar. Irmãos nos levam ao extremo da ira, mas também ao fastígio da cumplicidade, do amor.

Ter irmãos é ter parceiros. E daqueles com os quais você vai brigar, dos quais vai discordar, os quais vai querer que viaje por uma década pra ter um segundo de paz. Mas passados dez segundos, sem nada ser dito, a paz será restabelecida. E será como se não houvessem tido rusgas.

Amor de irmão, como qualquer outra forma de amar, não tem fórmula. Nem validade. Nem explicação.

E penso que se Deus tem um porquê de ter criado os irmãos, só pode ser pelo fato de não haver forma melhor de demonstrar que o amor, como mais nobre e puro sentimento, pode ser dividido muitas vezes que nunca será diminuído. Mas ao contrário, se tornará cada vez maior.

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras