Yoga

Por: Jane Mahalem do Amaral

169668

Algumas pessoas têm me perguntado sobre o Yoga. Esse assunto, presente nos meus textos, me leva a querer compartilhar um pouco do que sei sobre essa filosofia milenar.

O Yoga nasceu na Índia, acredita-se por volta de 3000 a.C., conforme confirmam dados de registros arqueológicos. Ele surgiu como um corpo de preceitos e técnicas espirituais dirigidos aos hindus que estavam à procura do sentido da própria vida, sua razão de ser. Por meio de práticas diárias, seus adeptos se esforçavam para atingir a realização do que consideravam “verdades superiores”. Tais práticas tinham o objetivo de levar cada um a libertar-se de todas as suas limitações e, encontrando-se consigo mesmo, buscavam a identificação com o Ser Supremo.

A palavra Yoga deriva da raiz Yuj, do sânscrito, que quer dizer atrelar, unir, juntar. É a união do corpo com a mente e da mente com a alma. Assim, pela tradição, significa a união do ser individual ao Princípio Supremo. O Yoga possui , portanto, um forte contexto espiritual, mas não é uma seita religiosa, como pensam alguns. Seu objetivo maior é a evolução de cada um na direção de se tornar um ser melhor, capaz de se conhecer e valorizar a vida.

Toda sua filosofia se baseia nos Vedas, livro sagrado hindu cujos estudos revelam que foram escritos e elaborados há mais de quatro mil anos antes da nossa era. Várias fases se sucederam, até que por volta de 200 d.C., o sábio Patanjali, escreveu o famoso Yoga-Sutra, organizando e codificando todos os princípios do Yoga. Essa via é que chegou ao ocidente no final do século 19. Nessa época, filhos de mestres hindus iam estudar na Inglaterra e divulgavam o hinduísmo e as tradições da Índia, dentre elas, o Yoga. Alguns desses indianos se tornaram líderes reconhecidos em todo o mundo, como Mahatma Ghandi e Krishnamurti. Mas o grande “boom”do Yoga ocorreu nas décadas de 1960 e 1970 por conta do movimento hippie que combatia a guerra do Vietnam e qualquer outro tipo de guerra. Por causa dessa imagem, quem praticava o Yoga era considerado uma pessoa “diferente”, rotulada como vegetariana, “bicho-grilo”, hippie. Mas quem, realmente, fez a ponte entre o Oriente e o Ocidente foram os Beatles que, seguindo a orientação de George Harrison, viajaram até a pequena cidade de Rishikesh, na Índia, e ficaram por lá, aprendendo e recebendo os benefícios do Yoga e dos gurus. Aí, começou a ser moda. Os jovens descobriram então os resultados físicos do Yoga, pois quem o praticava conseguia ter o corpo em forma. Apareceram vários mestres e professores e, principalmente, a partir dos Estados Unidos, ela foi difundida por todo o mundo. Daí para ser aceita ou bem-vista pelos meios científicos ocidentais precisou de algumas experiências de médicos que decidiram compreender as vantagens da prática do Yoga não só para pessoas saudáveis, mas também como ferramenta de auxílio na cura de algumas doenças. Hoje é possível constatar isso, observando-se o empenho dos hospitais em trabalhar com uma medicina preventiva que adota não só o Yoga, mas também a Meditação e outras práticas. Além disso, celebridades que praticam o Yoga, contribuem muito para divulgar seus benefícios, pois revelam que conseguem relaxar, acalmar a mente, minimizar a agitação mental, além de tonificar os músculos e aumentar a força física. Entre elas estão Madonna, Sting, Jon Bon Jovi, Júlia Roberts, Michelle Pfeiffer e aqui no Brasil, Fernanda Torres, Christiane Torloni, Cássia Kiss, Glória Maria, Fernanda Lima e outros.

Mas o que fazemos, quando praticamos o Yoga? Em toda aula de Yoga realizamos uma série de exercícios físicos, chamados asanas, que trabalham o alongamento, a respiração, desenvolvem a força física dos músculos e traz a consciência para o Aqui e Agora. Terminamos sempre com um relaxamento que pacifica a mente e acalma o espírito.

Como bem diz o mestre B.K.S. Iyengar: “A ciência do Yoga ajuda-nos a manter o corpo como se fosse um templo, para que fique tão limpo quanto a alma. O corpo é indolente, a mente é vibrante e a alma é luminosa. Os exercícios do Yoga desenvolvem o corpo até o nível da mente vibrante, para que corpo e mente, tendo ambos se tornado vibrantes, sejam atraídos pele luz da alma”.

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras