Solilóquio

Por: Ronaldo Silva

Tem calma
se ninguém
ouviu teu grito
no meio da praça.

Paciência
se ninguém secou
tuas lágrimas
durante o apocalipse íntimo.

Não tens ninguém, enfim.
Nem amigo nem amante.
Os fatos revelam barbaramente
a verdade: só tu és tu.

És filho da desventura,
marido da solidão.
Mas os versos são sua prole;
eles cuidarão da tua caduquice.
 

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras