O perfume da folha de limão

Por: Lu Fernandes

Depois de largar o emprego e o namorado, Sandra, uma mulher com seus 30 anos, toma uma decisão radical: parte para uma cidade do litoral espanhol, Costa Brava, com a intenção de pensar na vida e decidir que rumo tomar. Ela quer mudanças. E não é só isso: está grávida, mas não ama o pai de seu bebê e tampouco consegue vislumbrar como será o seu futuro.

Em Costa Brava, a protagonista conhece um casal de octogenários noruegueses, Karin e Fredrik, do qual se torna amiga e uma espécie de protegida. A princípio bastante simpáticos, eles decidem cuidar dela, fazendo-lhe companhia e, de certa forma, exercendo o papel dos avós que ela nunca teve. Mas o casal não é tão inocente quanto parece ser...

Sandra vai descobrir isso a partir do que lhe conta Julian, um sobrevivente do campo de concentração de Mauthausen-Gusen, na Áustria, que acaba de retornar à Europa depois de anos vivendo na Argentina.

Esse encontro revelará à protagonista informações sinistras relativas ao passado do casal de velhinhos noruegueses, e também de outros habitantes do aparentemente pacífico povoado. De maneira discreta, Julian já vinha seguindo os passos dos noruegueses há tempos, e não é mera coincidência que ele tenha decidido se mudar para Costa Brava.

Sandra duvida das informações tão escabrosas que recebe sobre a juventude daquele casal aparentemente inofensivo. Porém, quando se dá conta, a protagonista se vê envolvida, ao lado de Julian, na busca de um esclarecimento para o passado obscuro dos habitantes de Costa Brava. E é justamente aí que os perigos dessa trama começam a ser revelados.

O perfume da folha de limão (Editora Planeta, 400 pp., R$ 44,90) é uma cativante história de terror, mas sem os efeitos sobrenaturais comuns ao gênero. Ao mesmo tempo, é um romance atraente sobre a memória e a redenção da culpa.

Sua autora é Clara Sánchez, mexicana de Guadalajara, ficcionista que já assinou oito romances, incluindo Últimas notícias del paraíso (2000), que ganhou o prestigiado Prêmio Alfaguara, em 2000 e ainda não foi traduzido para o portugês. É também colunista do renomado jornal espanhol El País, além de colaborar ocasionalmente com a televisão espanhola. Seus livros já venderam mais de 120.000 exemplares somente na Espanha, e foram traduzidos para diversas línguas. O perfume da folha de limão, ganhador do Prêmio Nadal em 2010, é o seu primeiro título lançado no Brasil.

Saiba mais sobre Clara Sánchez visitando o site oficial da autora: http://www.clarasanchez.com.

 

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras