Esperança

Por: Karina Gera

O vento se despediu assim, sem jeito, sem medo, e se foi. Deixou uma folha caída na minha porta, sem palavras ou versos que pudessem justificar sua partida. Não me lembro se foi algo que fiz e pode ter provocado esta situação. Agosto se foi, chegou setembro, outubro se instalou. Ainda tenho esperança: a primavera em seu ápice mostra com suas flores que nada acabou.

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras