O Lulinha do cerrado

Por: Chiachiri Filho

Há, sem dúvida, várias coincidências entre o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva e o prefeito Sidnei Franco da Rocha. Com a derrota para Color de Melo parecia que Lula estava acabado para a política. Há oito anos, ninguém poderia imaginar que Sidnei Rocha venceria uma eleição em Franca. Porém, renascidos das cinzas, eles voltaram. Voltaram para glória.

Como o governo de Lula o de Sidnei foi amplamente aprovado pela população. Mas não é só isso. Há muitas outras maneiras de se comparar o líder nacional petista com o líder municipal psdebista. Sidnei, como Lula, é um excelente comunicador. Sabe falar, sabe discursar, sabe convencer. Populistas, compreendem as ações e reações das massas. Hábeis negociadores, conseguem transformar cenários adversos em situações favoráveis aos seus objetivos políticos.

Deixando de lado outras semelhanças, o mais impressionante entre esses dois líderes é a capacidade de transferir seus votos para um candidato. Lula fez isto com a Dilma. Dentre tantos líderes petistas de renome e projeção nacional, ele escolheu Dilma que nunca havia sido candidata a nenhum cargo eletivo.

Sidnei escolheu três assessores de sua confiança. Apresentou-os às prévias de seu partido e garantiu a indicação de Alexandre que, salvo engano, pela primeira vez ( e foi na referida prévia ) participou de uma eleição. Sem entrar no mérito das qualidades pessoais e profissionais de Alexandre Ferreira (que, certamente, ele as possui ) o fato é que sua candidatura não decolava. Sidnei Rocha negociou, fez alianças, arregaçou as mangas e elevou o seu escolhido de 2% a mais de 40%.

Evidentemente, não deve faltar competência ao candidato Alexandre Ferreira. Porém, não se pode negar que a participação de Sidnei Rocha foi decisiva, fundamental e indispensável na subida meteórica de seu preferido nas pesquisas eleitorais.

Não sabemos quem ganhará as eleições do dia 28 de outubro. Não obstante, Sidnei Rocha, esse verdadeiro “Lulinha do Cerrado”, já pode se considerar por cima da carne seca.

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras