Uma história de amor

Por: Farisa Moherdaui

Em tempos passados, Miguelópolis, a cidadezinha simples e calma, que sonhava ser cidade grande. Ali, o hotel de dona Hermosa, acolhedor e simples como as pessoas do lugar. Era onde se hospedavam viajantes, comerciantes, professoras e professores em início de carreira.

Foi num dia qualquer que chegou e se hospedou no hotel aquele moço elegante, simpático, o doutor delegado que veio com a missão de cuidar dos direitos e deveres das pessoas da tranquila Miguelópolis. Podia então ser percebida uma velada disputa entre as graciosas jovens, pelos corredores ou sala de refeições do hotel, afinal o doutor merecia a contenda dada toda a sua simpatia.

Passou um tempo, chega no hotel uma nova hóspede. Moça bonita, morena, sorriso claro e cativante. E foi por Marcela que o doutor delegado se encantou. Amigos, namorados, apaixonados, um casal feliz. Um tanto enciumadas as outras meninas do hotel.

E naquele domingo à noite, os dois na igreja, mãos dadas assistiam a uma missa, talvez agradecendo toda a felicidade que Deus lhe concedia.

De repente, um baque seguido de um burburinho e Marcela pálida, olhos embaçados, cabeça reclinada. A moça bonita que não mais sorriu, nada balbuciou, nem um gesto sequer. Marcela não mais viveu. Na igreja, lágrimas e tristeza.

O doutor delegado, melancólico e sem alegria, ficou um tempo mais na cidade por conta do seu trabalho e Marcela, a moça bonita e alegre, certamente vive ainda na lembrança dos que com ela conviveram.

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras