O sortudo

Por: Chiachiri Filho

Jogo na sena uma vez por ano: só na mega-sena da virada. Jogo nos números mais improváveis. Portanto, jogo para não ganhar ou, eventualmente, para ganhar sozinho. Jogo mais para sonhar e fico sonhando com os carros mais modernos, as casas mais luxuosas, as viagens inesquecíveis e tantas delícias e fantasias que o vil metal pode oferecer. Jogo para sonhar e sonho durante semanas. Chego a ter medo de ganhar e, como consequência, enfrentar os problemas que fatalmente virão de um prêmio milionário.

O prezado leitor deve ter tomado conhecimento das atribulações pelas quais passou um morador do Bairro Santa Terezinha. A simples suspeita de ter sido agraciado com o grande prêmio, fê-lo perder a sua paz e tranquilidade. Acabou trancando-se no quarto de sua casa para fugir dos curiosos, dos pedintes, dos seqüestradores, dos amigos ocultos e inesperados.

Disseram também que um provável ganhador da mega-sena morava no Bairro da Santa Rita. Tratava-se de um homem pobre, desempregado e separado da mulher. Não foi o premiado. Talvez a sua única sorte foi ter sido abandonado pela ingrata.

Afinal, quem foi o ganhador da mega da virada? Convido o prezado leitor a acompanhar o meu raciocínio. O ganhador fez seu jogo numa loteca da Avenida Champagnat. Por conseguinte, o referido estabelecimento estava em sua rota diária de passagem. Assim, o felizardo reside , com toda probabilidade, na região sudeste da cidade. Há vários bairros nessa região. O Aeroporto é um, a Morada do Verde é outro. Na morada do Verde, meu caro leitor, mora uma das pessoas mais “sortudas” de Franca. Ultimamente, essa pessoa tem ganho tudo e de todos. O estimado e arguto leitor já descobriu quem é o ganhador, o vitorioso, o imbatível? Já? É elementar. É muito fácil. O grande vitorioso só pode ser o Sidnei. É o Sidnei e basta. Para manter o devido sigilo, não vou revelar aqui o sobrenome do sortudo. Porém, a argúcia do leitor saberá identificar completamente o feliz ganhador que , a essas horas, deve estar descansando nos mares do Caribe.

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras