Voa!

Por: Lydia Rodrigues Souza

O que vale mais: o botão de floco de algodão intacto ou as pequenas bailarinas de neve no ar? Esse é o enigma do dente de leão. Flor silvestre, não escolheu nascer entre a púrpura das rosas. Não quis se inebriar com seus perfumes aveludados. É na grama verde que surge o pompom branco. Não resisto e sopro-o. Liberto suas pequenas dançarinas. Rodopiam no ar, leves, livres... Aprisiono uma delas em minhas mãos, mas logo me arrependo e solto-a. Os pássaros mais belos não estão em gaiolas. Nem os amores.

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras