Bodas

Por: Eny Miranda

Depois de longa e solitária caminhada, o Sol alcança a beira do mundo. Estende o olhar sobre águas e areias, montes e campos, e se deixa escorregar no vazio além da linha que sustenta a tarde.

Fios de luz pressurosos tecem sobre o azul faixas de organza em amoras e amarantos e tapetes de algodão e seda debruados e filigranados em ouro e prata. O céu se veste de gala.
Piscapiscando, mil olhos se abrem no espaço e se põem a perscrutar o Leste.

Eis que, toda sorrisos e reflexos, surge a noiva! Cheia de graça, a Lua cruza o portal da noite espelhando solares amores.

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras