A menina de lá

Por: Eny Miranda

Anoitece em mim e no mundo.

Penso em fechar as portas, no entanto, abro mil janelas:

“Tudo o que muda a vida vem quieto no escuro”.

Uma lua muito clara subindo, subindo...

Bacia de luz respingada nas copas das árvores,

Nos telhados dos edifícios, nas nuvens...

Desperta o lago profundo de meus olhos,

Esgarça a minha neblina

E, lanterna de vidro líquido, vagalumeia a minha alma.

Cumpre sua rota, rasgando a treva, Vencendo o espaço, joeirando luz pelo caminho.

Escorre de mim um canto sereno e doce

Que sobe com ela, água aromada pela brisa,

Asa de anjo roçando a sombra,

Inquietando as franjas da noite.

Um arco-íris se desenha entre os astros.

Equilibrando-se na ponta do mundo, meu canto é quase verso.

Debruçada no infinito, a Lua versa o universo de meu canto.

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras