Penitência

Por: Ronaldo Silva

Quando o baile terminou
e me surpreendi só,
mais uma vez só...

Então percebi que poderíamos
ter envelhecido de mãos dadas.
Bastava que duas gotas de amor
tivessem pingado em nossos corações.

Passos lentos me conduzem novamente
para meu quarto frio.
Sigo enumerando razões
que me impeçam de tentar mais um telefonema.

Passo pelo espelho
procurando nele um sorriso
que perdi há anos.
No peito vazio resvala um suspiro oco.

Por quanto tempo será
possível viver assim?

Ronaldo Silva,
vendedor, universitário

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras