Por um fio

Por: Tânia Liporoni

Por vezes, a existência, toda ela, nisso incluída a vida, a imagem, alegrias e tristezas, dramas e soluções, fica por um fio. Dá um arrepio! Os motivos que levaram à preocupação, pelos quais se sofreu, situações que pareciam dramáticas, de súbito, perdem a importância, tornam-se irrelevantes. A ordem das coisas é invertida e a prioridade agora é outra. Vai-se para a essência: respiração, composição, vida. Estão presentes? Isso é o centro agora. É bom ter em mente o básico para não se perder. Conjunturas desimportantes tomam muito o tempo pessoal, e, com frequência, fica-se distraído por elas, desviando-se do foco. E, o foco é perguntar: isso é realmente essencial?

Tânia Liporoni, advogada e autora de Parceria de Um e Pega-me. Membro da Academia Francana de Letras

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras