Eu e você

Por: Débora Menegoti

Não pelo que a vida impõe,
mas pelo que teus sons me compõem,
quero o perfume esquecido.
Volta lá atrás,
vem já amanhecido
de sol e de estrelas
Vou comê-las todas
como Saturno aos filhos,
no lugar dos pães e roscas
serei imensas moscas
a cheirar a sobra.
Quero expelir do rim a pedra
de gelo pulsando sal e vidro a me distraírem
mágica poeira de luar, brilho furta-amor.
nos meus olhos fechados
ciprestes orvalhados
sem as cores do teu calor.

Débora Menegoti, universitária

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras