São Cosme e São Damião

Por: Maria Rita Liporoni Toledo

Nascida na Cidade Maravilhosa, Estela tem em sua memória lembranças bem vivas do Rio de Janeiro, encantador e romântico de outros tempos, onde viveu sua juventude, nas areias soltas e grossas de Copacabana, sob o sol ardente e mar bravio. A sensação de igualdade experimentada na praia, no encontro com a natureza, em contato com a espuma branca deixada pelas ondas, corpo quase despido, somente alma e o infinito, levou Estela a pensar no próximo como igual. Solidária às causas comunitárias, participante de grupos de inserção social foi ativa até se mudar para o interior, casada e com família constituída. Conserva ainda, bem forte, a maneira de se expressar, com o brejeiro sotaque carioca do qual se orgulha. Fala com sedução, firmeza, sempre tentando justificar e convencer. Simpática, animada, demonstra a boa educação que recebeu, em colégios tradicionais e na família, aprendendo, desde cedo, o valor do trabalho e os princípios de justiça e de solidariedade. Dinâmica, administra sua vida, reservando um tempo para trabalhos voluntários, usando seus talentos, mas o que mais a comove é a Festa para as Crianças que realiza, em devoção a São Cosme e São Damião, há muito tempo, todos os anos, no dia 26 de setembro. Apesar de terem sido martirizados já adultos, os santos são retratados como dois irmãos bem jovens, sempre juntinhos. Nasceram no Oriente, na Arábia e exerceram a arte médica, fazendo curas, inspirados na fé cristã, sem nunca receber pagas e deixando pasmos os incrédulos. São conhecidos como protetores dos que atuam na área de saúde.

Estela trouxe de sua terra, onde é muito comum, a tradição de oferecer doces, balas e confeitos às crianças. Neste dia, reúnem-se todas elas, na pequena cidade na qual reside e lhes são oferecidos alimentos, lazer, prêmios, músicas, enfim, um dia inteiro de animação. Entre os escolares e os pequenos somam-se mais de mil coraçõezinhos eufóricos e abençoados pelos santos considerados, também, seus protetores. Algumas associações e amigos colaboram na efetivação da festa, mas a estrela de Estela é que os guia.

Maria Rita Liporoni Toledo,
professora

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras