Iluminação

Por: Tânia Liporoni

Parece que estou sendo esvaziada por dentro. Vagarosamente, levando minha alegria. Pensei até que tinha ido embora. Tanto tempo fiquei sem esse sentimento, achei que não morasse mais aqui. Drenando, drenando. Sem motivo aparente, sem identificação de algum ponto. Curioso o ser humano. Ingenuidade pensar que se tem domínio da mente, das sensações. Viver é muito perigoso, como disse Guimarães Rosa. Existem fases que são notoriamente difíceis. Mas, agora? Justo agora que está tudo tão bem? Horas vão passando e, com esforço feito durante muito tempo, tenho a tranquilidade de que consigo absorver isso. Dou conta delas e de suas repercussões. Controla-se um pouco, mas, muito ainda fica sem razão que se conheça. Sem que se perceba, anoitece. Mas, amanhã, estou certa, voltará o dia. Ensolarado e quente . De novo.

Tânia Liporoni, advogada e autora de Parceria de Um e Pega-me. Membro da Academia Francana de Letras
 

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras