Chorando morangos

Por: Júlia Moscardini

O sal da lágrima ardia
Mais do que já estava ardendo
O ritmo batia acelerado
Quase parando
Apertado pra esconder a dor
De mil garfos espetando a carne
 
O gosto do choro amargava a boca
Engolido à força goela abaixo
Enchia o papo, o peito, a pele
Sensação de secura
Nos cabelos e na alma
Soltos pelo vento, presa pelos homens
 
O corpo perdeu a obediência
Inflava e murchava numa vida de Alice
Com miolos encharcados
Pingando vodka com morangos
Vermelhos  feitos sangue
Sangue salgado de lágrimas
 
Julia Moscardini, Mestre em Estudos Literários

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras