Egresso

Por: Shirley Machado de Oliveira

Soltas um beijo torto,
Sem olhos, sem tato,
E deixas pra traz uma distância maior.
 
Já não podemos sentar em qualquer canto
E simplesmente olhar a paisagem:
nosso cisma torna tudo metade.
 
Teu lugar em minha casa declarei vago,
Sem culpa ou culpados,
E hoje não sei se te convido pra entrar.
 
Somos estranhos e não sei se te amo. 
 
Te quero bem.
 
Devolvo-te as medalhas sem mérito
E todos os nomes que ganhei.
 
Não é uma despedida.
É algo sem nome, 
Sem drama, sem fome.
 
Nalgum lugar, acompanhada.
 
Algum dia, saciada.

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras