Apologia do ócio

Por: Ronaldo Silva

Vamos ficar aqui parados,
sentados de frente para o futuro,
com os ventos do passado 
refrigerando nossas costas.
 
Vamos ficar de papo pro ar.
Façamos de conta que a boca não come,
que o corpo não precisa se vestir.
Nossa única ocupação será
a de observar o trajeto do Sol.
Vamos bocejar desavergonhadamente.
Sonora gozação aos que trabalham.
 
 
Ronaldo Silva, vendedor,  universitário

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras