Fábula

Por: Sônia Machiavelli

Um sapo viscoso viu resplandecer ao seu lado, na noite escura, um alegre vaga-lume. Mortificado, saltou sobre ele e o cobriu com seu ventre  úmido. O inseto, sufocando, ainda perguntou: por que me abafas? E o sapo respondeu, enquanto o outro expirava:  por que brilhas? 
 
 
Sonia Machiavelli,  professora, jornalista, escritora

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras