Cansaço

Por: Ronaldo Silva

Caminhos de ida,
estradas poeirentas
pelas quais circulam
almas fatigadas do penoso
labor de viver.
 
 
Risos, prantos, esperanças,
atinos e des-atinos.
Juízos e des-juízos.
Cálculos matemáticos inúteis
(sonhos e amores ignoram qualquer lógica)
 
 
Sete bilhões de estrelas reluzindo na Terra.
Todas perseguindo uma silhueta
chamada Felicidade.
 
 
Poucos ficaram cara-a-cara com ela,
que tem tantas caras diferentes.
 
 
Fato é que, como silhueta que é,
a tal felicidade raramente se deixa abraçar.
Dificilmente mesmo ser sequer tocada.
Poucos eleitos se deitam em seu regaço.
 
 
Talvez por isso mesmo
a estrada pareça tão longa e
as almas, cada dia mais cansadas.
 
 
Iludir-se cansa demais!
 
 
Ronaldo Silva, vendedor,  universitário

Envie seu texto
e faça parte do Nossas Letras